26 de nov de 2009

Alimentos funcionais




Quando estamos com algum probleminha é bom “atirar em todas as direções” para combater o inimigo, mas não é só nestas situações que devemos nos preocupar em consumir alimentos que possam ajudar a melhorar a saúde e até prevenir problemas graves.
Os alimentos funcionais não curam nenhuma doença, mas eles podem evitar que apareçam, para isso devemos consumir mais vegetais, frutas, cereais integrais, não exagerar na carne vermelha e passar a consumir mais alimentos a base de soja.
O texto acima é de minha autoria.


Neste site tem uma matéria muito boa.
O que são alimentos funcionais?


No site que eu recomendo abaixo, tem uma tabela muito interessante que informa os benefícios de algumas substancias e informa também em qual alimento ela está presente.
 
* * * * *

10 de nov de 2009

Qual é a diferença? Remédios de marca, genéricos e similares



Em uma postagem anterior eu mencionei que comprei um medicamento similar que não estava tendo o mesmo efeito dos genéricos que eu já havia usado antes.
Muito insegura quanto a esta questão fui pesquisar a respeito e depois de ler o que encontrei decidi que nunca mais comprarei medicamentos similares, só utilizarei os de marca ou genéricos e fiquei com algumas perguntas entaladas!
Para que existem os medicamentos similares se eles não substituem os remédios de marca?
Porque os medicamentos similares têm a qualidade assegurada pelo Ministério da Saúde se não passaram por testes de bioequivalência?
De que adianta existirem remédios que possivelmente causarão algum efeito colateral, como a maioria, e que talvez não solucionem os problemas de saude?
De que adianta pagar mais barato por um remédio que poderá não ter o efeito necessário?
Como podem existir medicamentos que não tem sua eficácia comprovada, que podem não ter o efeito esperado e que nos quais não consta nenhuma informação sobre isso na embalagem e na bula?
Será que o consumidor não está sendo enganado?
Se as respostas são tão obvias surge uma última perguntinha bem inocente.
Será que não tem alguém ganhando muito dinheiro com isso?
O texto acima é de minha autoria.


Veja abaixo, a explicação que eu encontrei no site PORTAL DO CORAÇÃO, a respeito das diferenças entre os medicamentos de marca, genéricos e similares.

Medicamentos: marca X similar X genérico X manipulado.

Medicamento de marca ou referência:
É o produto inovador, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente por estudos e validados por ocasião do seu registro. Geralmente é o primeiro remédio que surgiu para tratar ou curar uma determinada doença e sua marca é bem conhecida. Ex: Aspirina (referência para o ácido acetilsalicílico).

Medicamento similar:
Contém o mesmo princípio ativo, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência, mas não são bioequivalentes. Não pode substituir os remédios de marca na receita, pois apesar de terem qualidade assegurada pelo Ministério da Saúde, não passaram por testes de bioequivalência.

Medicamento genérico:
É um remédio intercambiável com o produto de marca ou inovador, ou seja, pode ser trocado por este, pois tem rigorosamente as mesmas características e efeitos sobre o organismo do paciente. Passou por testes de bioequivalência que servem para comprovar que dois produtos de idêntica forma farmacêutica, contendo idêntica composição, qualitativa e quantitativa, de princípio ativo, são absorvidos em igual quantidade e na mesma velocidade pelo organismo de quem os toma. Os genéricos podem ser trocados pelos medicamentos de marca quando o médico são se opuser à substituição.

Medicamento manipulado:
O medicamento é personalizado, desenvolvido exclusivamente para atender a quantidade e a dosagem ideal para um determinado tratamento, ou seja, sua exata necessidade. A farmácia compra o princípio ativo e produz o medicamento na quantidade necessária. Embora o medicamento manipulado sofra a fiscalização da Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA), a exemplo dos similares, estes medicamentos também não são submetidos a testes de bioequivalência com os medicamentos de marca ou referência.


No link abaixo tem esta matéria importante:
Na hora da compra: Saiba diferenciar o medicamento de marca, similar, genérico e manipulado.

* * * * * * *

27 de out de 2009

Poesia

Sempre admirei a capacidade que temos para expressar nossos sentimentos e pensamentos, mas o que acho ainda mais incrível é a criatividade que algumas pessoas possuem como, por exemplo, os escritores, cineastas e pessoas ligadas a arte em geral. Fico imaginando como deve fervilhar de idéias essas cabeças criativas que são capazes de idealizar personagens e situações que nunca imaginaríamos!
Muitas pessoas já nascem com esta capacidade e outras se transformaram em criadores através das influencias que receberam ao longo de suas vidas.
Eu não tenho filhos, mas penso que muitos problemas que a sociedade está enfrentando hoje acontecem porque não estão observando o que os jovens estão fazendo, lendo, etc... Somos o fruto do que comemos, lemos, vemos, ouvimos...


Pensando nisso dá até um pouco de medo ao imaginar como será o futuro que pode vir a se tornar bem ruim se as pessoas continuarem a estimular ainda mais o materialismo, o consumismo e a satisfação imediata, e diminuindo a importância do desenvolvimento intelectual, emocional e espiritual.
O texto acima é de minha autoria.

Vejam a poesia linda que encontrei. Ela foi escrita por um jovem jornalista.

Sou o que não posso ser

Não podemos ser nós
Por nós mesmos...
Há muito de minha mãe em mim,
De meu pai, de amigos,
De inimigos, de estranhos...

Sou como mel que não consegue
Ser mel por si só
Mas néctar de milhões de flores
E como abelha, vou sugando
De estranhos o conhecimento
A experiência e a coragem.

Estranhos que não conheço
Que não conhecem-me
Mas cientes do compartilhamento
Pois aquilo que pareço ser
Não é aquilo que sou
Se não fragmentos de livros
De som, de sabor e de imagem...

Não posso ser o que não acabou
O que não acaba é continuo
Uma construção sem fim
A imensidão de um deserto
Com bilhões de bilhões
De grãos de areia.

Sou uma vastidão
Sou ermo de mim
Pois sou todos em um
O grande deserto
Onde trilho
Minhas idas e vindas
Meus vôos...
Minhas decaídas...

Davi Roballo

* * * * * * *

Fibromialgia - Meus sintomas




Estes são os sintomas que apresentei e foram todos causados pela fibromialgia.
Quando olho para esta lista interminável eu fico espantada!
Como pode um único problema de saúde causar tantos sintomas desagradáveis e que aparentemente não tem ralação um com o outro!

- Dores fortes no corpo todo (braços, mãos, dedos, pernas, pés, sola dos pés, quadril, costas, pescoço).
- Sensação de peso e inchaço nos membros.
- Rigidez no corpo ao levantar pela manhã ou depois de ficar sentada por mais tempo.
- Sensibilidade ao frio com a piora das dores quando cai a temperatura.
- Insônia e noites mal dormidas.
- Síndrome das pernas inquietas.
- Acordar pela manhã sentindo-se cansada.
- Muito cansaço o dia todo.
- Muito sono o tempo todo.
- Necessidade de ficar deitada o tempo todo.
- Fraqueza.
- Falta de energia.
- Desanimo.
- Chorava muito.
- A depressão piorou bastante.
- Aumento de peso.
- Ansiedade.
- Dores de cabeça.
- Enjôos.
- Queda de pressão.
- Tontura.
- Desequilíbrio.
- As coisas que eu pegava ou segurava caiam das mãos com muita freqüência.
- Irritação incontrolável sem motivo.
- Intolerância a barulho e sons altos.
- Dificuldade para lidar com o estresse
- Cólicas abdominais.
- Síndrome do cólon irritável (diarréias).
- Constipação (prisão de ventre).
- Empachamento depois das refeições.
- Digestão difícil.
- Queimação no esôfago e no estomago.
- Falta de memória.
- Distração.
- Esquecimento.
- Falta de concentração.
- Confusão mental.
- Sensação de picadas nas pernas.
- Síndrome da bexiga irritável.
- Infecções urinárias.
- Pele sensível, principalmente no rosto e pescoço.
- Sensação de olho seco.
- Caminhava com dificuldade.
- Pressão no peito.
- Dor no maxilar e nos dentes.
- Bruxismo (apertar e ranger os dentes durante o sono).
- Zumbidos nos ouvidos.

Atualmente estou em tratamento e muitos destes sintomas não tenho mais, alguns persistem e outros aparecem de vez em quando nas crises e nas recaídas.
O que anda me incomodando muito é o cansaço, a falta de energia e o desanimo, estes três problemas são freqüentes, me prejudicam demais e estão tornando minha vida bem difícil.
O texto acima é de minha autoria.

* * * * * * *

22 de out de 2009

Fibromialgia - Recaída ou crise?


Acho que estou tendo uma recaída e não uma “simples” crise.

Como é a primeira vez que tenho fibromialgia... Algumas vezes não tenho bem certeza do que está acontecendo, conclui que estou tendo uma recaída porque já tive vários episódios com aumento das dores desde que iniciei o tratamento e considero estes episódios como crises. Acho que estou tendo uma recaída porque estão voltando vários sintomas que eu tinha antes e também estão aparecendo novos sintomas!!!
Hoje estou bem pior que ontem e não é pouquinho, perceberam que estou piorando e que estou mais deprimida. Isso teve inicio, há vinte e sete dias atrás, quando comecei a tomar o antidepressivo que havia comprado na farmácia e logo nos primeiros dias eu notei que não estava fazendo o mesmo efeito comparado aos os que eu já tinha tomado antes. Eu tomo este medicamento desde novembro do ano passado, então acredito que estou bem familiarizada com o efeito dele, este que estou tomando agora é de um laboratório que nunca tinha usado antes, ele não é o medicamento original e nem o genérico, este que tenho agora é um similar e isso fez com que eu desconfiasse da eficácia do remédio. Já li matérias onde os médicos não recomendam o uso de antibióticos similares e de laboratórios desconhecidos por já terem constatado a sua ineficácia que no caso de uma infecção é bem grave. Não vou dizer agora qual é o medicamento e nem o nome do laboratório porque quero primeiro conversar com todos os meus médicos e ver qual é a opinião deles a respeito da minha recaída.
Procurei observar também se ocorreu alguma mudança na minha vida que pudesse acarretar a minha piora e isso não aconteceu, antes deste remédio eu estava me sentindo muito melhor e mais feliz. Na verdade estou torcendo para que seja um problema com o remédio e não comigo.
O texto acima é de minha autoria.

* * * * * * *

22 de set de 2009

Fibromialgia e depressão - O antes e o depois


Algumas vezes sentimos falta de alguém porque a pessoa simplesmente sumiu. O sumiço das pessoas pode acontecer por vários motivos, o mais provável é que as coisas para ela estão muito boas ou estão muito ruins. No meu caso as coisas estão melhorando! Ufa!!!
Desde o dia 29 de agosto eu venho sofrendo menos por causa das dores causadas pela fibromialgia, elas se tornaram menos freqüentes e quando aparecem vem com menor intensidade. Não me perguntem por que, pois não sei responder. Eu mesma ando me perguntando isso e por mais que eu queime os meus neurônios não consigo desvendar este mistério. Será que eu fiz alguma lavagem cerebral em mim mesma e consegui me livrar de algum “peso” emocional sem perceber?
Bem, eu ando mais levinha mesmo porque de novembro para cá, época em que iniciei meu tratamento, já eliminei sete quilos dos onze que adquiri durante o meu calvário! Calma... Eu sei que vocês vão querer a fórmula milagrosa que causou essa maravilha! Quem é que não quer eliminar alguns quilinhos, não é mesmo?
Desde o inicio do meu tratamento eu estou tomando dois antidepressivos e um deles diminui a ansiedade. Eu já convivi com pessoas muito ansiosas e achava aquilo tudo bem estranho. Fiquei muito surpresa quando fiquei sabendo que estava com ansiedade porque como eu nunca fui assim, não me via desta forma, não reconheci os sintomas e não consegui perceber este problema. O que eu sentia era um tipo de fome constante, eu acabava de almoçar e depois de cinco minutos já sentia fome outra vez. Eu estava achando isso horrível porque nunca tive loucura por comida, nunca vivi em função da dela, sempre me alimentei com apenas o necessário e por isso sempre consegui manter meu peso ideal.
Quando eu era criança, provavelmente por eu comer pouco, me deixavam de castigo para me obrigar a comer e eu passava horas neste castigo, sozinha na cozinha, sentada em frente a um prato de comida sem a menor vontade de comer. “Coitadinho” do meu pai, ele não sabia como lidar com a minha falta de apetite. Eu sempre fui a mais magrinha da família e nunca fui uma criança que vivia doente, ou seja, eu era saudável, mas era considerada raquítica pela minha avó materna, que era de uma geração em que as crianças tinham que ser gordinhas e só assim eram consideradas saudáveis, as crianças magras eram consideradas fracas e doentes.
As mães realmente são criaturas maravilhosas e a minha não era diferente. Vejam do que ela era capaz! Enquanto todos estavam na sala assistindo TV, eu ficava sozinha na cozinha em frente aquele prato de comida, já gelada, sem a menor vontade de tocar nela. De repente quem aparecia? A minha mãe! Ela sabia que eu não ia comer aquela comida, então com a desculpa de ver se eu estava comendo, ela saia da sala, vinha até a cozinha e comia um pouco daquela comida gelada! Provavelmente ela engolia aquilo quase sem mastigar enquanto andava até a sala! Isso ela fazia umas duas ou três vezes e na última dizia mais alto:
- Agora já está bom. Pode ir!
Ela fazia isso porque sabia que se eu não comesse meu pai viraria uma fera e as coisas não acabariam bem!
Elas são ou não criaturas incríveis?
Entre mães e filhos as palavras são desnecessárias. Lembro-me muito bem da nossa troca de olhares que fazia com que eu me sentisse compreendida e amparada. É... Nesta hora não teve jeito mesmo, estou chorando! Mãe faz muita falta e a gente só percebe o quanto, quando perde! Ela é uma das poucas criaturas neste mundo, com a qual podemos realmente contar (além do seu cachorro, é claro). Se você ainda tem mamãe não deixe de pararicá-la muito, ela merece isso! As mães fazem as coisas mais simples da vida, como por exemplo, um chazinho qualquer ou uma sopinha, quando estamos doentinhos. Se você prestar bem atenção são estas pequenas coisas as mais valiosas, porque elas vêm naqueles momentos em que estamos mais frágeis e precisando de algum apoio.
Neste caso também existem exceções. Já convivi com pessoas que diziam detestar a mãe, que o pai era maravilhoso e a mãe era uma crápula. Para mim, isso sempre foi muito estranho porque tive uma mãe maravilhosa. Minha reação com esta pessoa era tentar fazer com que a visse a situação de outra forma, mas não tinha jeito e ela passava a me contar os absurdos que a mãe fazia e de como o pai era maravilhoso. Tenho o mesmo pensamento sobre aquela frase muito repetida por amantes de cachorros. “Desconfie de quem não gosta de cães”. Acho que não é bem assim porque alem de ser apaixonada pelos meus dois cãezinhos, eu também adoro todos os outros e não me considero uma pessoa maravilhosa. Tenho muitos defeitinhos de fabricação. Eu já convivi com pessoas apaixonadas por cães, que não eram seres incríveis e que com o passar do tempo tiveram comportamentos detestáveis, como por exemplo, fazer com que um companheiro de trabalho fosse demitido em beneficio próprio. O pior é que até onde eu sei, ele não sabe disso e deve continuar achando que ela é uma pessoa maravilhosa! E não sou eu que vou contar a ele toda a traição que sofreu pelas costas, porque sei que as coisas tendem a correr seu curso naturalmente e como digo sempre, um dia a casa cai e a verdade virá à tona, ou então posso dizer “O feitiço vira contra o feiticeiro” ou ainda “Aqui se faz, aqui se paga”.
Bem, deixando as “viagens” de lado, já estou voltando para a Terra para continuar de onde parei. Como eu dizia, eu estava passando por um período de ansiedade. Depois de cinco minutos que eu havia acabado de almoçar eu já estava com fome novamente e ia para a cozinha assaltar a geladeira ou o armário onde estavam as bolachas. Eu passava o tempo todo com fome e desesperada porque quando me olhava no espelho eu me detestava cada vez mais porque não parava de engordar. Minha sorte é que caí nas mãos de médicos excelentes que foram certeiros na recomendação dos antidepressivos e por isso estou eliminando o peso que adquiri e voltando ao meu normal.
Quando eu me queixava da minha condição, algumas pessoas diziam: Você está ótima, ou então, depois de um tempo todo mundo engorda mesmo ou ainda, você estava muito magra ou qualquer outra frase parecida. A questão é que eu não me sentia bem física e emocionalmente, eu não me conformava em estar gorda e estava muito infeliz por causa disso. Para que ninguém me considere uma anoréxica eu fiz o calculo do meu IMC (Índice de Massa Corporal) antes e depois.

Cálculo do IMC
Para fazer o cálculo do IMC é muito fácil, basta dividir seu peso em quilogramas pela sua altura ao quadrado (em metros) e depois comparar o resultado aos valores da tabela IMC. Vejam o meu caso abaixo:

Meu peso normal, antes de engordar.
Meu peso = 52
Minha altura = 1,53
IMC = 52 ÷ 1,53²
IMC = 52 ÷ 2,34
IMC = 22,2

Meu peso máximo até o inicio do tratamento.
Meu peso = 63,5
Minha altura = 1,53
IMC = 63,5 ÷ 1,53²
IMC = 63,5 ÷ 2,34
IMC = 27,1

Tabela IMC
Abaixo de 18,5 Você está abaixo do peso ideal
Entre 18,5 e 24,9 Você está em seu peso normal
Entre 25,0 e 29,9 Você está acima de seu peso (sobrepeso)
Entre 30,0 e 34,9 Obesidade grau I
Entre 35,0 e 39,9 Obesidade grau II
40,0 e acima Obesidade grau III

Como vocês podem ver pela tabela, antes eu tinha um peso considerado normal e depois de engordar os onze quilos passei para o sobrepeso e eu sabia que isso não era bom. Eu já estava perdendo o controle da situação e sabia que em pouco tempo poderia me tornar uma pessoa obesa porque eu não parava de engordar.

Obesidade grau l !!!
IMC = 70,5 ÷ 1,53²
IMC = 70,5 ÷ 2,34
IMC = 30,1

Para que eu entrasse na faixa do primeiro grau de obesidade bastaria que eu chegasse aos setenta quilos, isso quer dizer que se eu engordasse mais sete quilos eu já seria considerada obesa e daí em diante seria cada vez mais difícil voltar ao meu peso normal.
Para mim era muito difícil estar neste estado. Desde que comecei a engordar fui perdendo as minhas roupas e eu me recusava a me desfazer delas porque nunca me conformei com esta situação. Meu guarda-roupa estava lotado de coisas que não podia vestir e eu usava um cantinho do lado direito onde eu colocava o que tinha para usar. Era muito triste para mim, abrir o guarda-roupa e vê-lo lotado de roupas que eu adorava e que não me serviam mais. Isso era uma tortura? Claro que sim. Eu sentia essa tortura principalmente nos finais de semana, mas essa agonia ajudava a reforçar a necessidade que eu sentia de voltar ao normal. Era terrível quando eu tinha algum compromisso importante ou quando simplesmente queria sair mais bonita para ir ao cinema ou qualquer outra coisa. Eu separava a roupa e quando ia me vestia percebia que não estava vestindo bem porque já tinha engordado mais um pouco, nestas horas eu ficava desesperada, mal humorada, chorava e perdia toda a vontade de sair.
A depressão deve ter sido a responsável pelo meu aumento de peso. Eu não tinha vontade de sair de casa para nada, tornei-me sedentária, não conseguia mais subir uma ladeirinha sem me sentir cansada e tinha dificuldade em andar rápido, não tinha vontade de cuidar de mim e muito menos da casa, perdi toda a vaidade que sempre tive e quase não me olhava mais no espelho, ela mexeu com a minha libido também porque perdi a vontade de namorar, eu me sentia muito infeliz, sentia muita tristeza, só tinha vontade de ficar deitada, dormia muito e chorava muito também.
Eu procurava disfarçar este problema na frente de outras pessoas, porque sabia que existe o preconceito em relação à depressão. As pessoas não conseguem entender o que sentimos e se tentamos explicar, muitas podem pensar que estamos mentindo ou exagerando. Se vocês me perguntarem por que eu tenho depressão, porque me sinto deprimida, porque não tenho vontade para nada eu não vou saber explicar, eu já me perguntei isso milhares de vezes e não encontrei a resposta. Nas piores fases já cheguei ao ponto de sentir vontade de morrer, não digo de me matar porque acho que não tenho coragem para tanto. O que uma pessoa deprimida sente é muito ruim, pode ser o dia mais lindo do ano com um sol maravilhoso, mas continuamos a ver tudo cinza e sem graça. Gostaria muito que parentes e amigos de pessoas deprimidas lessem isso para despertar nelas a vontade de tentar entender um pouco melhor as atitudes de um deprimido e para que não o julguem mais.
Agora que estou em tratamento os piores sintomas da depressão já melhoraram muito, mas no momento, o que está tendo um efeito maravilhoso sobre a minha pessoa é o fato de estar emagrecendo, de estar voltando ao normal e de estar recuperando o aspecto que eu tinha antes. Imaginem a minha alegria quando tive a idéia de experimentar pela primeira vez uma daquelas calças que não me servia mais e constatar que poderia usá-la. Eu não usava esta roupa desde 2002 e fiquei super feliz quando me vi no espelho sem aquela barriga horrorosa e aqueles pneus detonantes em volta da cintura.
Algumas vezes eu me pergunto por que tem que existir coisas tão terríveis como a depressão que leva a pessoa para o fundo do poço, o câncer que até hoje continua sendo um tabu porque alguns ainda são fatais, a fibromialgia que causa tanta dor, o transtorno bipolar que é mil vezes pior que a depressão e muitas outras doenças terríveis. Por quê? Para que? Dizem que os problemas fazem de você uma pessoa melhor. Em que a depressão e a fibromialgia estão me tornando uma pessoa melhor? Só porque estou aprendendo a me conhecendo melhor vou me tornar uma pessoa melhor? O fato de estar me conhecendo melhor só traz benefícios para mim. Acho que estas perguntas vão ficar sem respostas.
O texto acima é de minha autoria.

Este site calcula o seu IMC

A tabela de IMC pode ser encontrada em diversos sites sobre saúde e dieta.

* * * * * * *

O que é IMC
O Índice de Massa Corporal (IMC) é um método para avaliação de peso.
É aceito e adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), mas não deve ser usado para avaliar o peso de crianças, idosos e pessoas musculosas.
O IMC tem critérios diferenciados para avaliação de alguns grupos étnicos, como por exemplo, os asiáticos.
O IMC é um método preliminar para avaliação de peso, mas se o médico achar necessário deve ser feitos outros exames para complementar.

17 de set de 2009

Solidão


Ultimamente estou ficando muito em minha companhia!
Muitas vezes nos sentimos só mesmo não estando sozinhos. A principio é uma sensação bem ruim porque sentimos desamparo, mas como temos a mesma capacidade dos animais, que também o somos, entra em ação a lei da sobrevivência e acabamos, não sem sofrimento, conseguindo lidar com a solidão.
Quando tenho algum sentimento me incomodando vou consultar meu psicólogo, o Dr. Net, e sempre encontro as mais diversas respostas.
O texto acima é de minha autoria.

Dêem uma olhadinha em mais uma poesia que encontrei no Site de Poesias.
http://sitedepoesias.com.br/

Da solidão e do solitário

É na solidão que se conhece a si mesmo
Pois acesa a lamparina da consciência
A ilusão desmorona e ficamos frente a frente
Com os demônios e monstros que há dentro de nós
E é impossível mentir quando estamos a sós com essas feras.

Inegável são a reflexão e a reciclagem na solidão
Por estarmos a sós não podemos nos omitir
Nem adquirir o anonimato do meio da multidão
O céu transforma-se em inferno e a confusão nasce
Pois é na solidão que os ouvidos enxergam
E os olhos ouvem, enquanto a boca respira
E o nariz fala a voz inconfundível do silêncio.

Solidão também é companhia
Companhia de nós mesmos
O “eu” que muitas vezes abandonamos a esmo
Para viver nas asas e sombras alheias
Enquanto nosso espírito se asfixia
Com tanta ilusão e mesquinharias.

Quem disse que companhia
Significa ausência de solidão
A muitas maneiras de ser só
Solitário em pensamentos
Solidão intelectual
Mas a pior solidão é a do poeta
Que acompanhado pelas estrelas
Embebido de noites prateadas
Não pode pegá-las...

Davi Roballo

* * * * * * *

26 de ago de 2009

Fibromialgia - Dor que dói por dentro e por fora

A pior coisa para mim é sentir dor, sempre foi assim. Dor é uma coisa da qual nunca gostei. Algumas pessoas suportam melhor que outras e este não é o meu caso. Sempre fiz de tudo para não ter que sentir qualquer dor.
O mais irônico disto é que agora eu tenho Fibromialgia que é a Síndrome da dor. Desconfio que esta síndrome apareceu, para ensinar-me alguma coisa que eu estou precisando aprender, mas será que é preciso sofrer para aprender? Talvez sim porque sou meio teimosa, orgulhosa e mais alguns outros defeitinhos tão feios quanto estes.
Depois que descobri a Fibromialgia, venho fazendo auto-análise para me conhecer melhor. A Fibromialgia é uma síndrome de fundo emociona, então sabendo mais sobre meus problemas vai ficar mais fácil combater esse mal.
Analisando-me, descobri que tenho aversão a dor desde a infância. Lembro de que quando apanhava (com motivo ou sem), eu chorava por longos períodos e faço isso até hoje, principalmente quando a dor é emocional, tendo como a única diferença em relação a aquele período, o fato de que hoje eu não apanho mais. Ufa! Ainda bem!
Lembro-me de que eu fazia de tudo para não apanhar. Até a pouco tempo atrás eu pensava que fazia isso por covardia, então me perguntava: Considero-me uma pessoa corajosa, então como posso, ao mesmo tempo, ser covarde? Depois que analisei friamente o meu comportamento daquela época, descobri que eu tinha certas atitudes para evitar apanhar e consequentemente sentir dor, que no caso da surra, é uma dor física e emocional também!
O texto acima é de minha autoria.

Visitem o blog A dor atual http://adoratual.wordpress.com/.
Lá tem muita informação sobre as inúmeras causas da dor e diversos outros assuntos muito interessantes.
O blog pertence à fisiatra Dra. Thais Saron, com a qual me trato no Hospital 9 de Julho, ela é ótima!

* * * * * * *

12 de ago de 2009

Fibromialgia e depressão - Minhas inimigas mortais


Nunca gostei de ter inimigos e não sou do tipo que adora dar o troco porque sei que existe a lei do retorno. Acho que é perda de tempo ficar retribuindo maldades, isso só serviria para queimar as minhas valiosas energias.


Toda pessoa que me faz algum mal, lá na frente vai receber a sua parte e eu não tenho que mover um dedo para que isso aconteça. Esta é a verdadeira justiça e todos nós estamos sujeitos a ela. Fez aqui, aqui mesmo paga!
O mais engraçado é que de alguma forma e sem que eu vá atrás, eu fico sabendo das desgraças dos meus algozes. Sempre aparece alguém do nada, que sem mais nem menos, me conta alguma coisa! É de arrepiar!!! E posso dizer sem o menor pudor que essas notícias não me fazer nenhum mal, pelo contrário, elas me fazem muito bem porque é nesta hora que me sinto ressarcida.
Gosto de deitar a cabeça no travesseiro sem me preocupar com inimigos, mas infelizmente já não tenho mais este privilégio porque adquiri duas inimigas mortais. Essas megeras dissimuladas quase acabaram comigo e com a minha vida!
Quem serão essas duas?
São a incompreendida Depressão e a dolorosa Fibromialgia. Uma é pior que a outra e parece que essas infelizes gostam de andar juntas! São duas monstruosidades invisíveis e traiçoeiras, chegam de mansinho e gostam de atacar pessoas despreparadas. Quando você se dá conta o mal já foi feito.
Como enfrentar duas inimigas com essas características? Não sei bem, só sei que sozinha não dá. O que sei é que agora são minhas inimigas mortais e tenho que lutar contra elas.
O pior de tudo é saber que não conseguirei me ver livre delas, apenas posso deixá-las mais fracas. Elas vão estar ao meu lado pelo resto da minha vida e não poderei baixar a guarda nunca.
Já imaginou o que é isso? Precisar usar de artifícios (remédios) pelo resto da vida e estar em alerta constante porque elas são dissimuladas e aparecem quando você menos espera!
Com o passar do tempo elas vão se apresentando de forma diferente, mudam de comportamento e de intensidade. Elas se disfarçam tão bem que em certos momentos você até esquece que elas existem, mas de repente, por algum motivo, quando você menos espera, alguma delas reaparece.
Aos poucos estou aprendendo a lidar melhor com elas. Como diz o velho ditado: Se você não pode com eles, una-se a eles. Não concordo totalmente com essa frase, mas de qualquer forma já estou unida a elas mesmo que contra minha vontade.
Quando pensei que uma das minhas inimigas tinha fracassado e se aposentado por invalidez, ela reaparece fazendo com que eu relembrasse de tempos não tão distantes em que eu vivia diariamente com a dolorosa presença dela.
Isso aconteceu depois que eu tive um sábado maravilhoso. Fiquei toda feliz por ter conseguido fazer uma caminhadinha tranqüila, sem sofrimento, de apenas duas horinhas, horinhas estas que não significavam nada para uma pessoa como eu que era capaz de caminhar por até seis horas, numa boa e sem conseqüências.
No dia seguinte ao da incrível façanha, ela reapareceu. Até parecia que vinha como um castigo por eu ter tentado desfrutar de um sábado como um ser humano normal!!! Desta vez ela reapareceu quase tão forte quanto na época em que eu convivia com ela diariamente, eu ainda não sabia quem ela era e nem imaginava que pudesse existir uma inimiga tão dolorosa e destruidora como ela.
Não é fácil e chega a ser quase impossível, mas nessas horas é preciso ter calma e paciência até que ela se esconda novamente. Desta vez eu pude perceber que estou conseguindo realmente vence-la e que mesmo na recaída estou sendo mais forte que ela porque já tenho como me defender.
Foi em novembro do ano passado que eu descobri o que estava me deixando quase inválida e fiquei sabendo que eu tinha essa inimiga colada em mim. Foi nesta época que conheci alguns anjos (médicos) e eles me ensinaram a usar algumas armas valiosas (remedinhos antiinflamatórios para dor) que fazem com que minha inimiga fique mais fraca. Agora quando ela reaparece me defendo logo e faço ela se esconder depressinha. Tenho esperança de que com o tempo, as minhas inimigas mortais fiquem escondidas por períodos cada vez mais longos.
Se você desconfiar que esta caindo na armadilha destas megeras corra logo para os braços dos anjos e peça a ajuda deles, eles vão saber o que fazer.
Certa vez ouvi alguém dizer que inimigo bom é inimigo mal. Achei essa frase bem estranha, mas é bem verdadeira porque inimigo bom é aquele inimigo declarado que te detesta, é aquele inimigo que se mostra, é aquele que você conhece e dele pode se defender e que contra ele pode lutar.
O texto acima é de minha autoria.

Depois de ter “viajado na maionese” e de ter escrito tudo isso, eu fui dar uma espiada na opinião de outras pessoas a respeito de inimigos e encontrei alguns provérbios interessantes.

Provérbios
A melhor maneira de nos desfazermos de um inimigo, é fazer dele um amigo.

Os inimigos declarados são os menos perigosos.

Os inimigos não dormem.

Quem tem inimigos, não dorme.

Não há pequeno inimigo.

****************

10 de ago de 2009

Meu outro blog

Quando criei este blog fiquei super empolgada e tinha decidido que também postaria as minhas receitinhas preferidas. Com o tempo percebi que estava ficando diversificado demais então criei um blog só sobre culinária que ficou bem fofo.

Foi por isso que dei uma sumidinha, mas agora já estou voltando.

Visite, está ficando bem “apetitoso”!

http://www.crisviajandonacozinha.blogspot.com



* * * * *

29 de jul de 2009

24 de jul de 2009

Fã solidária


Eu como filha de um pai tirano e espancador, posso imaginar pelo que Michael Jackson passou e sentiu quando criança e consigo compreender o porquê dos problemas que apresentou ao longo da vida.
Sendo eu uma simples mortal, andando por ai sem ser notada, consigo perceber em mim as cicatrizes deixadas como herança pelo meu pai, quem dirá ele! Que por ser uma pessoa publica, teve sua vida, sua fragilidade e suas mazelas expostas, ficando assim, sujeito as criticas e julgamentos de todos! Certamente ele sofreu bem mais que eu!
Alem de ter tido um pai rude, ignorante, tirano e explorador, que humilhava o filho e que causou feridas profundas em sua alma, ele ainda não teve uma infância normal porque começou a trabalhar quando ainda era uma criança. Nasceu em um país preconceituoso que provavelmente o fez passar por algum constrangimento, precisou aprender muito cedo a lidar com o sucesso e com o fato de ter muito dinheiro, acabou aprendendo, a duras penas, a identificar pessoas caluniadoras e oportunistas como aquelas que abusaram da sua inocência (não acredito que ele foi um pedófilo), precisou descobrir que muitas se aproximavam dele interessadas em se beneficiar da sua popularidade e alem de tudo isso, ainda se viu a mercê de uma mídia implacável e destruidora e de uma sociedade repleta de fofoqueiros que nunca o deixaram em paz. Depois dizem que somos nós, os brasileiros, que não reconhecemos e não valorizamos os nossos ídolos!!!
Quando ainda muito pequeno, precisava ser perfeito, caso contrário, o pai tirano o espancaria. Ele era humilhado constantemente pelo próprio pai, e sempre por motivo de sua aparência, especialmente pelo seu nariz que dizia ser muito feio, posso imaginar qual é o efeito disso sobre o psicológico de uma criança, uma observação tão maldosa como esta vinda diretamente do próprio pai! Isso fez com que ele se transformasse em um adulto obcecado pela própria imagem, chegou a fazer inúmeras plásticas para tentar alcançar a perfeição e isso lhe causou muitos problemas.
Recebeu o título de "rei do pop" quando ainda era bem jovem. Sua extrema sensibilidade fez com que escrevesse tantas letras lindas e encantou o mundo dançando maravilhosamente como ninguém. Ele precisava provar para si mesmo que era o melhor porque quando criança o pai exigia tudo dele e de uma forma muito rude e cruel.
Por amar demais os animais e as crianças e por sentir-se seguro perto delas, foi acusado moralmente por pais que souberam ser tão tiranos quanto o dele, capazes de expor a vida do próprio filho, única e exclusivamente por dinheiro!
Não conseguindo ter seus próprios filhos e por gostar tanto de crianças, se fez pai por outros meios e foi chamado de insano por isso. Quando adoeceu só ouviu calunias a seu respeito, por isso quando precisava sair do seu refugio se escondia atrás de uma máscara por medo do que mais poderiam dizer. Por não ter tido uma infância normal, passou a viver em um mundo de fantasias dizendo ser Peter Pan! Aos 50 anos necessitava manter-se eternamente jovem e tinha o tempo e o espelho como seus maiores inimigos, acabou por se auto destruir porque não conseguiu lidar com o inevitável envelhecimento.
Ele sentiu muito as cicatrizes internas adquiridas na infância! Sentiu tanto, que foi capaz de desejar ter as inúmeras cicatrizes externas testemunhas da mutilação. De tanto sofrer cirurgias plásticas, acabou por tornar-se hipocondríaco e dependente dos remédios tomados para tirar a dor das intervenções!
Do modo como as coisas aconteceram, fiquei inclinada a acreditar que inconscientemente ele queria “ir embora”! Ele era dependente químico já há vários anos e se drogava para poder dormir dias e dias seguidos. Provavelmente isso foi algum um tipo de fuga, digo isso porque quando eu estava deprimida só queria dormir o dia todo para não sentir a tristeza e a infelicidade que me perseguia.
Tenho a impressão de que ele até tentou se reerguer, mas foi percebendo que pela péssima condição física, não conseguiria encarar o que vinha pela frente! Provavelmente ele estava sob grande pressão e perdeu completamente o controle, até que exagerou e acabou com tudo!
Para mim este ser humano que se foi de forma tão repentina e triste, será sempre o maravilhoso Michael Jackson e com certeza não será esta a recordação que guardarei dele, essa imagem de um homem anoréxico, dependente químico e infeliz que perdeu todo o brilho que um dia teve no olhar!

Eu sempre digo que existem algumas pessoas talentosíssimas que são insubstituíveis e que nunca surgirão outras iguais, como por exemplo, Charlie Chaplin, Gandhi, Ayrton Senna, Marilyn Monroe, Elvis Presley e tantos outros.
Michael Jackson é único e faz parte deste grupo de pessoas muito especiais!

Foi um menino que soube ser grande!

Foi um pai maravilhoso que fugiu a regra não se tornando o espelho do seu!

É assim que sempre vou me lembrar dele!
Sendo como ele sempre quis ser, jovem, lindo, feliz e sempre sorrindo!

Fique em paz!

O texto acima é de minha autoria.

* * * * * * * * * *

19 de jul de 2009

Gripe suína ou A(H1N1)


Minha garganta deve ser sensível porque quando criança eu tinha dor de garanta com muita frequência e estes dias, mais uma vez, me vi com a dita cuja. Começou a doer na sexta e no sábado estava insuportável! Minha sorte é que não infeccionou só estava vermelha e ardendo muito!
Não gosto de me automedicar, então fui ao pronto socorro. Sempre que temos algum probleminha, nós vou ao P.S. do Hospital 9 de Julho que fica próximo da minha casa.
Eu já estava psicologicamente preparada para esperar bastante, mas para meu espanto fui atendida relativamente rápido. Passei por um otorrino que receitou um antiinflamatório básico e algo para diminuir a dor.
Como este hospital faz parte da lista dos que estão preparados para atender a Gripe A(H1N1) aqui em São Paulo, não pude perder a oportunidade de perguntar ao médico como estava a situação, e para meu espanto ele olhou para mim com cara de preocupação dizendo que já têm muitos casos de pessoas infectadas e que não está mais sendo feito nenhum exame individual específico porque a coisa já se espalhou mesmo, ou seja está fora de controle!!!
Devo ter sido atendida logo, não por causa dos “meus lindos olhos azuis”, mas porque estão priorizando os atendimentos relacionados aos sintomas de uma gripe.
Não preciso dizer mais nada não é? A coisa está feia mesmo!!!
Saí de lá meio anestesiada com a informação. Não é fácil constatar que estamos em perigo e que não podemos fazer muita coisa a respeito.
Portanto é fundamental que neste momento evitemos ao máximo nos expor a qualquer tipo de aglomeração, só mesmo se for impossível fugir a isso!
Não temos filhos, mas foi inevitável eu pensar nesta juventude incontrolável que não ouve mais os pais e que estão se expondo a este vírus implacável nas baladas ou em outra situação de risco. Quer maior aglomeração que uma balada?
Quero deixar bem claro que não tenho nada contra balada, também já fui jovem e também já gostei de me reunir aos amigos para me divertir, isso faz parte da evolução de um ser humano, só acho que neste momento deve ser evitado temporariamente qualquer tipo de aglomeração para o bem de todos!
O texto acima é de minha autoria.

As informações abaixo encontram-se neste site:
Neste link vocês encontram outras informações sobre esta gripe.

Imagem de microscópio eletrônico do vírus da gripe A (H1N1)

Influenza A (H1N1)

Progressão, sintomas e tratamento
Assim como a gripe humana comum, a influenza A (H1N1) apresenta como sintomas febre repentina, fadiga, dores pelo corpo, tosse, coriza, dores de garganta e dificuldades respiratórias. Esse novo surto, aparentemente, também causa mais diarréia e vômitos que a gripe convencional.
De acordo com a OMS, os medicamentos antivirais oseltamivir e zanamivir, em testes iniciais mostraram-se efetivos contra o vírus H1N1.
Ter hábitos de higiene regulares, como lavar as mãos, é uma das formas de prevenir a transmissão da doença. Além disto, deve-se evitar o contato das mãos com olhos, nariz e boca depois de tocar em superfícies, usar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar, evitar aglomerações e ambientes fechados e ter hábitos saudáveis como hidratação corporal, alimentação equilibrada e atividade física. Caso ocorra a contaminação, o paciente deve evitar sair de casa até cinco dias após o início dos sintomas, pois este é o período de transmissão da gripe A.
Algumas organizações religiosas também orientaram aos fiéis evitar abraços, apertos de mãos ou qualquer outro tipo de contato físico para impedir a dispersão do vírus durante os cultos religiosos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...