29 de jun de 2009

Fibromialgia e perfeccionismo

Eu e minha fibromialgia!
Uso uma agenda para marcar muitas coisas porque minha memória nunca foi exemplar e de repente se tornou um lixo. Quando passei a conhecer a fibromialgia descobri que este problema é mais uma das facetas da síndrome.

Quando eu passava por uma consulta, a médica me viu anotando alguma coisa na agenda e disse que isso é uma característica de quem tem fibromialgia e que os fibromialgicos são pessoas perfeccionistas. Quando ouvi isso não dei muita importância porque eu uso agenda para não deixar de fazer certas coisas por causa do esquecimento.

Quando eu li o texto abaixo me lembrei do dia da consulta e da observação da média e naquele momento eu não quis aceitar esta condição, então passei a me analisar e cheguei à conclusão que tenho esta característica sim, mas não de uma forma exagerada e conclui que isso não estava me ajudando em nada.

Nesta época eu já andava usando uma frase criada por mim que é a seguinte, “Cansei de ser boazinha”, esta frase tem a ver com a questão de saber dizer “não”, coisa que eu tinha bastante dificuldade para fazer e que agora estou aprendendo e posso dizer que é bem melhor porque evita que eu faça coisas das quais não goste ou que não tenha vontade ou que vão me sobrecarregar de alguma forma.

Agora criei uma nova frase, “Cansei de ser certinha”, esta utilizo para me lembrar de que não preciso ser perfeita e fazer tudo direito e estou procurando não me cobrar tanto como antes e não ser tão exigente para comigo mesma.

Se acharem interessante adotem as minhas frases engraçadinhas, talvez elas possam ajudar!!!

Abraços a todos


Este site é muito bom, dá uma espiadinha!
http://www.fibromialgia.com.br/


..o゚・:,。★゚・:,☆゚:,。★,:・゚o..



Você éperfeccionista?


O perfeccionismo habitualmente é tido como uma qualidade a ser almejada. Porém, nos pacientes com fibromialgia, esta busca pode ser improdutiva e até mesmo danosa. Algumas “dicas” podem ajudar a identificar este perfeccionismo excessivo.

Por exemplo, se você acredita que pedir ajuda é um sinal de fraqueza; fica preocupada em cometer erros na frente de outros; as coisas têm que ser feitas sempre do jeito que você quer; se você se aborrece se outros não são perfeccionistas ou não fazem as coisas do jeito ou no tempo que você quer; você fica pensando em erros do passado; você demora mais que outras pessoas para completar uma tarefa, pois esta nunca está completa o suficiente; você não pára com esta tarefa mesmo que outros digam que já está bom ou que você esteja cansada. Todos estes são sinais de um perfeccionismo excessivo e não saudável.

Como este tipo de comportamento pode levar a problemas de saúde e bem estar? Bem, de várias maneiras diferentes: você começa a não completar as coisas, e pode ficar deprimida ou infeliz; começa a perder muito tempo nas coisas do dia-a-dia, pois se preocupa com detalhes pequenos e sem importância. Uma dificuldade de convivência com outras pessoas começa a aparecer, pois você não aceita as coisas sendo feitas de outra maneira que não a sua; você não consegue mais sentir a sensação de “dever cumprido”, e isto leva a uma frustração crescente e pode piorar ou causar uma depressão.

Como se pode quebrar este círculo de perfeccionismo exagerado? Bem, primeiramente aceitando o fato que o perfeccionismo em si pode ser danoso para a sua saúde; ter expectativas realistas para você mesmo e para as pessoas que lhe cercam. Estabelecer suas prioridades, para poder programar quanto tempo será gasto em cada tarefa. Estabeleça este tempo e o respeite, para aprender a se poupar. Dê uma folga para si mesma - tenha cuidado com a autocrítica excessiva e peça por ajuda mais vezes. Tente fazer coisas de um jeito diferente, e tenha prazer de novas experiências. “Ouça” seu corpo e pare com uma tarefa se a mesma está lhe causando dor. Aceite bem críticas construtivas e não como uma ofensa. Aprenda a importância e o valor de dizer não.

Lembre-se que ninguém é perfeito, e que deixar o perfeccionismo para trás pode ser uma experiência libertadora!

..o゚・:,。★゚・:,☆゚:,。★,:・゚o..


Até a próxima!

24 de jun de 2009

Fibromialgia e estresse

Eu ainda estou em fase de descobertas com a fibromialgia!
Agora por exemplo, já sei que são dois os fatores desencadeantes das minhas crises, um deles é o excesso de atividade física, e o outro é o estresse, este último me afeta mais e as sensações dolorosas são diferentes e muito piores.
Tenho feito o possível para evitar situações estressantes, mas muitas vezes não depende só de mim.
Acho que tenho muito o que aprender ainda!!!

Mais uma vez estou postando uma matéria deste site http://www.fibromialgia.com.br/ que é excelente.

..o゚・:,。★゚・:,☆゚:,。★,:・゚o..



O impacto do estresse na fibromialgia

Estresse


Considera-se como estresse uma resposta temporária a uma situação de emergência, ou seja, a repercussão mental e física de situações que causam angústia, irritabilidade ou excitação. O estresse faz parte da vida, na medida em que está envolvido em seus diversos aspectos, tanto positivos como negativos, ou seja, desde ganhos, mudanças de ambiente, festas, disputas e encontros, até perdas, rotina com sobrecarga de trabalho e frustrações.

Após um estresse positivo, o indivíduo experimenta uma sensação de relaxamento, no entanto, após um estresse negativo o que surge é uma situação de alerta prolongado com diversas conseqüências negativas para o organismo.


Efeitos do estresse crônico sobre o organismo

Quando se está estressado, o aumento da tensão muscular acarreta dor e exacerbação dos sintomas da fibromialgia. A queda no desempenho físico e mental é fonte de grande frustração, estabelecendo-se, assim, um círculo vicioso que engloba a dor, a limitação física e aspectos emocionais, no qual cada um desses aspectos tende a agravar os demais.

Deve-se, antes de mais nada, reconhecer os sinais de estresse no próprio organismo, identificar as suas causas e tentar resolver o que for possível, aceitando o que não for possível de ser modificado. Com a tendência atual de se atribuir tudo a uma doença, nem sempre é fácil reconhecer as manifestações do estresse.


Identificando situações estressamtes

Na tentativa de se tentar determinar as situações mais estressantes o indivíduo deve elaborar um diário no qual conste o horário, tipo de atividade e as conseqüências físicas e emocionais a ela relacionadas.


O reconhecimento do estresse e suas conseqüências para o organismo

Dentre os efeitos deletérios do estresse sobre o organismo destacam-se:
- Freqüentes dores de cabeça.
- O indivíduo sente um aumento na tensão e dor na musculatura dos ombros e pescoço
- Muitas vezes tende a cerrar os dentes com força enquanto dorme (bruxismo)

Distúrbios da digestão.
- Queixas digestivas e perda do apetite podem surgir
- Outras manifestações são gastrite, úlcera e diarréia

Manifestações emocionais
- Ansiedade, tristeza, nervosismo, depressão, fadiga mental
- Irritabilidade e incapacidade para relaxar
- Dificuldade para tomar decisões e esquecimentos freqüentes
- Dor no peito, boca seca, palpitações, mãos frias e tremores
- Elevação da pressão arterial e outras conseqüências cardiovasculares

Distúrbio do sono.
- A maior parte dos pacientes acorda com a sensação de não ter dormido à noite
- Em alguns casos ocorre a insônia, em outros a sonolência excessiva
- O fato de dormir mal à noite acarreta sonolência diurna
- O sono superficial acarreta decréscimo da produtividade e alteração da memória

Outros aspectos a serem considerados.
- Aumento no uso de álcool e medicações
- Aumento no número de acidentes frutos da desatenção
- A queda da imunidade favorecendo a instalação de uma série de doenças


Como lidar com o estresse

O controle do estresse na fibromialgia melhora as manifestações de dor e dos distúrbios do sono, na medida em que diminui o tônus muscular do alerta prolongado, reduz a freqüência cardíaca, a pressão arterial e poupa o desgaste emocional, reduzindo a fadiga.


Algumas opções para desenvolver mecanismos protetores contra as situações estressantes são:

- Ter um animal de estimação
- Dedicar-se a um esporte
- Tocar um instrumento musical - Cultivar o lado espiritual e o social
- Interromper as atividades por uns trinta minutos quando se sentir angustiado e executar uma atividade prazerosa, como ouvir música ou fazer um ritual de relaxamento
- Interromper situações de potencial agressividade, antes que estas se auto-potencializem.


Como evitar o estresse

Estabeleça metas realistas e tente cumpri-las.
- Nada de se sobrecarregar ou superestimar as próprias capacidades
- Inclua nas suas metas a atividade física e uma rotina saudável

Listar as metas de acordo com a prioridade.
- Deixe para amanhã o que não se necessita fazer hoje
- Questione sempre a necessidade ou utilidade de suas atribuições


Concidere prioritário o que lhe dá qualidade e sentido à vida

Não perca tempo.
- Evite perder muito tempo no trânsito
- Tente otimizar suas atividades, não se prendendo em detalhes


Evite sobrecarregar-se

- Antes de aceitar alguma coisa, considere o quanto de trabalho vai dar
- Aprenda a dizer não sem sentir culpa

Nutra pensamentos positivos.
- Evite situações nas quais predominam aspectos negativos, angústia ou muita cobrança
- Mude a forma de ver as coisas, buscando sempre um valor ou aspecto positivo
- Freqüente ambientes que estão de acordo com os seus valores


Técnica de relaxamento progressivo

- Assuma uma posição bem confortável, procurando respirar usando só a musculatura abdominal. Feche seus olhos gentilmente.

- Começando o exercício feche sua mão esquerda como se fosse dar um soco, aperte o máximo possível, procure ficar atento para a sensação de tensão procurando memorizá-la. Agora relaxe, deixe a mão confortavelmente apoiada na superfície em que está. Respire calmo(a) e tranqüilo(a), procurando perceber a diferença entre as duas sensações, a da contração e a do relaxamento. Repita este movimento.

- Agora, dobre o pulso esquerdo para cima, elevando a palma da mão, sem movimentar o braço, sinta a contração e procure memorizar esta sensação. Relaxe, deixe a mão apoiada na superfície em que está, procurando comparar e discernir a diferença entre as duas sensações. Respire calmo(a) e tranqüilo(a), use somente a musculatura abdominal. Repita.

- Dobre o pulso para baixo tentando alcançar com os dedos o braço. Contraia o máximo possível. Sinta a contração e em seguida relaxe comparando as duas sensações. Respire tranqüilamente. Repita.

- Dobre o cotovelo, sinta a contração nesta musculatura, memorize-a. Agora, relaxe, acomode o braço confortavelmente, procure senti-la como se não conseguisse movimentar. Respire calmamente, use somente a musculatura abdominal. Repita.

- Repita os mesmos movimentos com o braço direito.

- Agora, concentre sua atenção na sua perna esquerda. Estique o seu pé o máximo possível, levando a ponta do pé o mais distante do seu corpo. Sinta a contração, memorize esta sensação. Agora, solte, relaxe. Compare as duas sensações. Respire tranqüilamente, use apenas a musculatura abdominal. Repita.

- Dobre o pé, trazendo a ponta do pé em direção ao seu corpo. Contraia mais e mais, sinta a contração. Relaxe, compare essas sensações, procure memorizar a diferença entre elas. Respire calma e tranqüilamente. Repita.

- Eleve um pouco a coxa, a perna e o pé. Contraia essa musculatura para a manter elevada, preste atenção na contração. Agora, relaxe, apóie a coxa, a perna e o pé confortavelmente na superfície. Sinta toda a sua musculatura mais e mais relaxada, dando a impressão de não poder mover. Respire pausadamente. Use somente a musculatura abdominal, Repita.

- Repita os mesmos movimentos para a perna direita.

- Agora, contraia ambos os ombros, elevando-os como se fosse encostá-los na ponta das orelhas. Contraia, mais e mais. Relaxe, deixe os ombros apoiados de maneira confortável, sinta a diferença entre a sensação da contração e a do relaxamento. Respire tranqüilamente. Repita.

- Eleve a cabeça como se fosse alcançar com o queixo o peito. Sinta a contração, procure memorizar esta sensação. Agora, solte, relaxe, deixe a cabeça apoiada de forma bem confortável. Compare as duas sensações tentando memorizar a diferença entre elas. Respire pausadamente. Repita.

- Franza a testa e os olhos. Aperte, preste atenção nesta sensação. Agora, solte, relaxe sinta o rosto pesado, os olhos fechados gentilmente.

- Memorize as duas sensações. Respire somente com a musculatura abdominal. Repita.

- Aperte os dentes, os de baixo de encontro com os de cima. Sinta a tensão, e agora compare com a do relaxamento, soltando o seu rosto mais e mais. Respire calmamente. Repita.

- Nos próximos minutos, mantenha o seu corpo todo relaxado, confortavelmente apoiado na superfície em que está, respirando tranqüilamente, use apenas a musculatura abdominal, deixando o ar entrar e sair gentilmente. Finalizando o exercício, espreguice e abra os seus olhos.


23 de jun de 2009

Fibromialgia e as crises




Minha situação já melhorou muito desde que estou me tratando, agora quando entro em crise não me desespero porque sei que ela não vai ser tão intensa nem tão longa como antes. Está sendo menos penoso lidar com o problema.
O que tem me ajudado muito desde o inicio, é ler tudo o que encontro sobre o assunto e escrever sobre como me sinto. Ler o depoimento de pessoas afetadas pela síndrome me ajudou bastante, foi isso que me levou a criar este blog, aqui posso desabafar um pouco e quem sabe ajudar alguém que tenha o mesmo problema.
O texto acima é de minha autoria.

No texto abaixo tem dicas muito boas e foi nele que encontrei a sugestão para escrever. 
O link do site encontra-se mais abaixo.


Como lidar com as crises de fibromialgia
Pacientes com fibromialgia (FM) ocasionalmente experimentam “crises” da doença, isto é, momentos quando os sintomas da fibromialgia pioram. Os sintomas que pioram geralmente são a dor, as alterações do sono e a fadiga. Saber lidar com estas situações é uma habilidade importante de ser adquirida. Um primeiro passo é tentar identificar o que desencadeia as crises. Na maioria das vezes, o paciente consegue definir algum fato ou situação que levou a uma piora do quadro. Um dos fatores mais comuns é o exagero na atividade do dia-a-dia, principalmente afazeres domésticos. Fatores emocionais também são uma causa importante das crises. Alterações climáticas podem aumentar a percepção dolorosa. Em algumas mulheres, as crises são sempre em período pré-menstrual, demonstrando que causas hormonais também podem estar atuando.
Reconhecendo estes desencadeadores, o paciente com fibromialgia pode ganhar algum controle sobre as crises, evitando ou tomando medidas preventivas sobre estes fatores.
Embora a atividade física seja fundamental para pacientes com FM, o excesso de atividade corporal pode levar a uma piora de sintomas. O paciente com FM está descondicionado fisicamente, e o exagero numa atividade doméstica ou no exercício pode desencadear uma crise que dure dias. É importante dividir tarefas que exijam esforço físico, não tentando “compensar” pelos dias perdidos .Também é importante não tentar esgotar as tarefas de uma só vez. Por exemplo, a tendência de uma dona-de-casa é sempre passar toda a roupa, para depois dobrá-la e guardá-la. Seria menos cansativo passar um pouco da roupa, depois guardar um pouco e voltar a passar. Isto faz variar os grupos musculares que estão sendo usados, e permite um melhor equilíbrio da fadiga muscular. Sempre se deve fazer alongamentos antes de qualquer atividade física, tanto no trabalho como no lazer. Se há a chance de haver mais dor por realizar certa atividade, usar medicações analgésicas antes desta atividade pode ser extremamente útil.
O estresse emocional não causa a FM, mas com certeza pode piorar os sintomas. Deve-se sempre manter atento se um quadro de depressão ou ansiedade estão surgindo. As condições do tempo também podem piorar os sintomas. Como isto não pode ser mudado, é interessante um aumento nas medicações para o paciente que sente que está mais sensível. Estas questões devem sempre ser discutidas com o médico.
Da mesma maneira, se a paciente sente piora durante o período pré-menstrual, ajustes podem ser feitos neste período em relação à medicação para dor, para o sono e para relaxamento muscular. Existem hoje medicações específicas para o período pré-menstrual, que devem ser usadas por todo o mês. Estas opções devem ser discutidas na consulta médica.
Outras dicas durante as crises: descansar bastante, usar formas de calor para aliviar a dor – banhos quentes (principalmente de banheira, se possível), compressas quentes e bolsas de água quente. Uma soneca de 30 minutos após um banho quente pode ser uma boa estratégia para aliviar a dor. Massagens, alongamentos também são boas opções, mas alguns pacientes podem não tolerá-los durante a crise. A acupuntura é uma boa opção para um alívio da dor nas crises. Procure fazer atividades que lhe dêem prazer, para ajudar no relaxamento. Respire fundo e devagar – a crise leva a um aumento no número de respirações (hiperventilação), o que pode levar a sintomas como tontura e amortecimentos, aumentando o estresse.
Procure pensar coisas positivas, repetindo-as com freqüência – “esta crise não durará para sempre” , “eu posso lidar com isso”, “eu farei isto ou aquilo para me sentir melhor”. Estes pensamentos lhe darão força para passar por este período difícil. Algumas pessoas gostam de escrever, e escrever sobre a FM, a crise e o que você está fazendo para ameniza-la já se provou muito eficiente para o sentimento de auto-estima do paciente.


Novas opções de tratamento na fibromialgia
Isostretching: A dor na fibromialgia, uma vez instalada, promove uma série de modificações no comportamento de nosso corpo. Um exemplo é a sensação de rigidez muscular. Essa tensão é representada pela contração exagerada de grupos musculares geralmente numa atitude de defesa frente à dor. O fato é que o processo dor-tensão muscular acarreta dificuldades funcionais e com o tempo a inatividade e o sedentarismo. Logo a desmotivação aparece e a cada tentativa de esforço a fadiga impede de começar ou manter atividades cotidianas. Todos estes fatores associados ao sono não reparador podem gerar o descondicionamento físico, de forma que o enfraquecimento muscular acaba piorando todo o processo. O Isostretching contribui no tratamento da fibromialgia como método auxiliar às terapias de combate a dor. Com ele é possível proporcionar ao corpo novas formas de manutenção da melhora do quadro doloroso, por meio da aquisição de uma nova postura, e do fortalecimento e alongamento muscular. É importante lembrar que apenas um profissional capacitado poderá prescrever exercícios que não agravem o quadro doloroso, uma vez que cada paciente deve ser orientado segundo suas necessidades e limitações. O Isostretching é um método ideal para terapias em grupo, o que torna o trabalho agradável e motivante para os praticantes, incentiva a sociabilização e a melhora da qualidade de vida.

Watsu: O Watsu representa uma modalidade terapêutica baseada nos conceitos do Zen Shiatsu, criada por Harold Dull em Harbin Hot Springs, na Califórnia. Com ela possibilita-se a utilização dos princípios físicos da água, entre eles a capacidade de flutuação do corpo, os efeitos do calor numa piscina aquecida a 34ºC e uma seleção de movimentos coordenados de alongamentos, trações e rotações numa coreografia harmônica que proporciona relaxamento físico e mental.
Por que propomos o Watsu no tratamento da fibromialgia? Feche os olhos e imagine-se flutuando nas águas quentes e silenciosas de uma piscina aquecida. Imagine seu corpo sendo sustentado sutilmente pelos braços de um terapeuta que gentilmente o entrega à água a cada respiração, tornando-o cada vez mais livre. Imagine a sensação de relaxamento do seu corpo na água, livre das tensões, movendo-se como uma onda, numa dança lenta de movimentos circulares, acolhido com todo o cuidado. O movimento contínuo do corpo entregue à água permite alongamentos sem resistência que se sucedem sem limitações, pois neste momento você não sente dor. Imagine toda a liberdade de seus movimentos em virtude de uma grande flexibilidade, do relaxamento, da respiração coordenada e da ausência da dor.

Lidando com o cansaço (fadiga)
O cansaço é um dos sintomas mais desafiadores para os pacientes com fibromialgia. Muitos pacientes já acordam cansados, com pouca reserva de energia para lidar com as atividades de um dia normal.
Algumas técnicas podem ser úteis para uma melhor de conservação da energia e redução do cansaço:

1) Planejar: organize suas tarefas de uma maneira racional. Deixe espaços no dia para descanso. Inclua sempre o tempo de fazer a atividade física nos momentos que estiver mais disposta, deixando para momentos em que estiver mais cansada, tarefas mais fáceis. Quando se sentir melhor, não tente “compensar” e fazer tudo o que você não fez nos dias anteriores.

2) Priorizar: Faça as coisas importantes primeiro; deixe coisas menos importantes para fazer outra hora. Organize suas tarefas em listas, numa ordem ordinal – as coisas mais importantes primeiro.

3) Eliminar: Pode ser que você tenha que eliminar tarefas que você fazia antes – evite ter coisas que dão muito trabalho para serem conservadas.

4) Delegar: A maioria das pessoas gosta de fazer as coisas pessoalmente ou que elas sejam feitas do seu jeito. Porém, haverá coisas que você terá que pedir para os outros façam. Peça ajuda, não reclame se os outros fizerem as coisas de uma maneira um pouco diferente da sua e sempre agradeça. Considere, se possível, contratar alguém que ajude no serviço mais pesado pelo menos uma vez por semana.

5) Organizar: Mantenha a casa organizada de maneira simples; remova móveis que não sejam necessários, dê roupas que você não usa, organize os objetos de limpeza e a despensa.

6) Aja de maneira lógica: Sempre simplifique a sua vida. Quando for ao mercado, compre coisas para serem estocadas, para que não precise voltar várias vezes. Sempre que sair de casa, tente aproveitar para comprar e fazer tudo em um só lugar (por exemplo, um hipermercado).

7) Use bem os seus horários de maior energia: Geralmente o período da manhã é melhor para quem tem fibromialgia. Deixe as tarefas mais importantes para este período.Tire uma soneca antes de sair à noite, para não se sentir tão cansada.

8) Permita-se estar bem: continue sempre a aproveitar momentos com a família, amigos, companheiros. Deixe os seus horários de maior energia também para cultivar estes momentos.


As informações acima foram muito úteis para mim e estão neste site:
http://www.fibromialgia.com.br/ 
Dêem uma passadinha por lá, vale a pena.
* * * * *

Inspiração

15 de jun de 2009

"Ir embora"


Tem dias que parece estar tudo mais difícil.
Hoje é um desses dias! Alem de ser uma segunda-feira chata ainda estou com vontade de sumir.

 
Acho que cansei, cansei de ser gente! Gostaria de ser um animalzinho que vive por instinto.
Hoje é só mais um, daqueles milhares de dias, em que sinto que cansei de “estar aqui” e em que sinto vontade de “ir embora”.
Tudo parece pesado, chato, repetitivo, cansativo, sem graça...
Hoje não estou com vontade de me enganar, não vou fingir, é assim que me sinto!
Sei que outros dias virão, melhores ou piores, e sei que estarei bem aqui.
Como diz o ditado “Nada como um dia atrás do outro”.
Quem sabe amanha estarei me sentindo melhor ou então tentando me enganar um pouquinho!
O texto acima é de minha autoria.

Vejam que incrível, encontrei mais uma poesia linda da Mena Moreira, neste momento ela tem tudo a ver com meus sentimentos!

Veja esta e outras no site:

Preciso sair de mim

Lá fora é só simpatia
A vida é pura magia
Todo mundo é feliz todo dia...

O que importa ser assim
Se aqui, dentro de mim
Tudo parece no fim...

De mim quero sair, ir embora
Preciso fazer "minha hora"
Sem rumo, por aí, vida afora...

E aí será só regalia
Ao viver em completa harmonia
Eu e a tão sonhada alegria!

Mena Moreira

* * * * * 

4 de jun de 2009

Fibromialgia - Tratamento

Estou em tratamento e já melhorei muito.
Desejo melhoras a todos os fibromialgicos.

Os links das informações abaixo vocês podem encontrar no final desta postagem.



Tratamento

A Fibromialgia tem cura?
Não. Por apresentar diversos fatores causais a Fibromialgia cronifica. Não ocasiona morte ou deformidades, mas pode evoluir com incapacidade se não for tratada. O tratamento feito de maneira adequada e com a mudança de hábitos proporciona o controle da dor, melhora do sono, da fadiga e do humor. A manutenção do tratamento com a atividade física regular e controle do estresse são essenciais para a melhora da qualidade de vida.

Tratamento da fibromialgia
O tratamento da fibromialgia inclui medicamentos e medidas complementares. A ênfase está na redução dos sintomas de dor e na melhora da saúde de maneira geral.



Medicamentos para fibromialgia:

Antidepressivos: Os antidepressivos tricíclicos possuem ação analgésica indireta, não causam dependência e não possuem efeito narcótico. Promovem aumento da quantidade de neurotransmissores como serotonina, dopamina e norepinefrina. Isso resulta em aumento na quantidade de sono profundo, favorecimento da transmissão neuronal mediada por serotonina, potencialização da ação analgésica das endorfinas e relaxamento muscular.

Medicações para o sono tem sido recomendado na fibromialgia quando os distúrbios do sono não são controlados com o uso de antidepressivos tricíclicos.

Anticonvulsivos. Alguns medicamentos utilizados no tratamento de convulsões também se mostram efetivos no tratamento da fibromialgia.

Os analgésicos, embora não curativos na fibromialgia, são muito úteis no seu tratamento. Muito dificilmente um remédio analgésico resolverá totalmente a dor em um paciente com fibromialgia. Porém, eles podem reduzir a dor a um ponto que permita aos pacientes realizarem suas tarefas de vida diária e, principalmente, que possam realizar atividade física aeróbica programada. É importante que o paciente entenda o analgésico como parte do tratamento, e não como o tratamento completo. Por outro lado, a subutilização de analgésicos também é freqüente. Comumente os pacientes relatam que só usam a medicação para a dor quando não agüentam mais, quando a dor está insuportável. Isto também é prejudicial, por manter o ciclo de dor-contração muscular. Se os analgésicos forem usados, devem ser utilizados de maneira contínua e em horários pré-programados.

Os antiinflametórios, na fibromialgia não são muito eficazes, porém auxiliam no controle da dor quando em associação com outros medicamentos. Atuam também em sintomas associados à fibromialgia como a tensão pré-menstrual, cefaléia e dor articular.

Relaxantes musculares. Sendo a fibromialgia uma condição que se manifesta como dor muscular, é intuitivo pensar que relaxantes musculares possam ajudar no controle da dor. Existem várias medicações que estão no mercado como relaxantes musculares, mas o modo de ação de cada uma delas varia consideravelmente, e seu uso na fibromialgia pode ser otimizado se aplicarmos estas medicações de maneira adequada. Estas drogas também são utilizadas de forma breve e não contínua. São eficazes para combater a dor e a tensão muscular.

Todo tratamento deve ser prescrito e orientado por um médico.


Medidas e tratamentos complementares
Exercícios. Atividades físicas, em especial os exercícios aeróbicos, são comprovadamente eficazes para reduzir as dores da fibromialgia e melhorar a qualidade do sono. Inicialmente os exercícios podem aumentar um pouco a dor, mas a prática regular alivia os sintomas. Os exercícios mais indicados pelos médicos são caminhada, natação e hidroginástica. Começar aos poucos ajuda a alongar e movimentar os músculos doloridos. A aeróbica de alto impacto e o levantamento de peso podem provocar um maior desconforto. Um alongamento suave e uma massagem moderada pode ajudar a aliviar os sintomas, como também assim o fazem a acupuntura eletrônica e as técnicas de relaxamento.

Acumpuntura. Esta técnica incorporada da medicina chinesa tem mostrado resultados positivos, tanto na redução dos sintomas de fibromialgia, como na redução do estresse.

Psicoterapia. A abordagem psicológica, em especial a psicoterapia cognitiva comportamental, auxilia no desenvolvimento de habilidades para lidar com a doença e manter uma atitude positiva.

Hipnoterapia. A sociedade brasileira de reumatologia reportou que sessões de hipnoterapia pode promover uma melhora significativa dos sintomas de pacientes resistentes ao tratamento convencional.

Nos casos moderados, os sintomas podem desaparecer quando se reduz o estresse.

As medicações utilizadas para o tratamento de Fibromialgia variam de indivíduo para indivíduo. Isto acontece por diferentes motivos, principalmente pelo fato de diversos fatores: idade, genética, doenças associadas, fatores ambientais, tempo de doença e sintomas apresentados por cada um.
Toda medicação apresenta algum efeito colateral. Isto não é grave, mas pode ser desagradável e por isto limitar o uso de algumas destas drogas. Conseqüentemente, pode haver a demora do acerto da medicação e até mesmo uma resistência ao efeito analgésico após um período.
As medicações não causam dependência física se devidamente prescritas por um médico especialista no assunto.


Medicina alternativa funciona em fibromialgia?

Não há evidencias científicas que homeopatia, medicina ortomolecular, florais, pirâmides, soros, etc., sejam efetivas no seu tratamento, logo, não devem ser indicados nestes pacientes.


Tratamento de reabilitação

Para maior eficácia, este tratamento deve ser multi e interprofissional, ou seja, deve haver critérios, metas e interação entre os profissionais.
Há vários profissionais que podem estar envolvidos dependendo da necessidade do paciente. Entre eles: fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, educador físico, terapeuta ocupacional, enfermeiros e até assistente social.


Tratamento de manutenção

A Manutenção é a continuidade do tratamento como rotina diária, uma mudança de hábitos.

O paciente deverá continuar com atividade física regular, principalmente os alongamentos e aeróbicos. Atividade física regular, segundo o Colégio Americano de Medicina Esportiva, é aquela praticada 3 vezes por semana por pelo menos 30 minutos.

Utilizar técnicas de relaxamento, outros métodos de controle da dor conforme sentir necessidade.

Não adotar posturas inadequadas e viciosas.

Menor uso de medicações possíveis conforme a orientação médica.

Melhora da qualidade vida.

Maior participação em atividades sociais e de lazer.


Orientações gerais de tratamento

O tratamento da fibromialgia nem sempre se constitui numa tarefa fácil para o médico. Trata-se de um diagnóstico de exclusão, como salientado anteriormente na discussão do diagnóstico diferencial. Devemos manter uma postura crítica na aceitação e condução desta síndrome. De caracterização relativamente fácil, segundo os critérios diagnósticos, muitos enfermos vem recebendo tal rótulo de maneira, muitas vezes precipitada e inadequada, em certas ocasiões retardando o diagnóstico da condição clínica pertinente. A maciça divulgação desta condição na imprensa leiga também deve ser revista, pois tem capacidade de indução e amplificação dos sintomas em vários pacientes, como notamos no dia-a-dia dos nossos ambulatórios. Os folhetos informativos devem sempre ser revisados por profissionais especializados, informando os métodos de tratamento que possuem comprovação científica e evitando formas de tratamento ditas alternativas ou sem amparo na literatura.

Avaliações realizadas mostram que a fibromialgia, bem como outras síndromes dolorosas crônicas com períodos de incapacidade (exemplo: lombalgias e lombociatalgias) mostram cifras elevadas; os custos diretos anuais por paciente foram estimados em US$ 1,000, em 1991, elevando-se para US$ 2,274, em 1996. Em seguimentos de pacientes portadores de fibromialgia, realizados durante três anos, foi demonstrado que apenas 5% apresentam remissão sustentada após tratamento bem conduzido e que 60% persistem com fadiga e sono não reparador na evolução. A falência do tratamento pode ser estimada em 50% dos pacientes. Tal panorama necessita de constante atualização do ponto de vista farmacológico, bem como denota uma necessidade de estabelecermos diretrizes seguras para a abordagem destes pacientes.

É de fundamental importância um bom relacionamento médico-paciente, sua educação com relação aos sintomas clínicos e distúrbios associados. É necessária uma explanação detalhada sobre a evolução da fibromialgia, seu caráter crônico-recidivante, bem como a identificação de fatores agravantes e/ou de alívio desta condição. Devemos sempre enfatizar a benignidade desta síndrome, bem como nos casos classificados como primários, a ausência de doença subjacente significativa. Uma atitude positiva e otimista do médico perante o paciente também é importante.

Como os distúrbios do sono estão presentes na grande maioria dos pacientes, devemos proceder a uma "higiene do sono", salientando a necessidade de evitar consumo de cafeína ou nicotina próximo a hora de deitar, assim como outras orientações com finalidade de minimizar os fatores prejudiciais ao sono. As várias modalidades farmacológicas e não farmacológicas de tratamento estão além do objetivo desta revisão.


Higiene do sono
1. Horário regular para dormir e despertar.
2. Ir para a cama somente na hora de dormir e quando estiver com sono.
3. Ambiente de dormir saudável, com pouca iluminação. Além disso, é importante a adequação de colchões e travesseiros.
4. Tomar banho quente perto da hora de dormir geralmente atrapalha o sono.
5. Não fazer uso de álcool próximo ao horário de dormir e não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica.
6. Evitar chá, café ou estimulantes antes de dormir.
7. Atividade física em horários adequados e nunca algumas horas antes de dormir, pois pode atrapalhar o sono.
8. Jantar moderadamente em horário regular e adequado.
9. Não assistir TV na cama. Evitar ler na cama. A cama deve ser utilizada somente para dormir.
10. Realizar atividades relaxantes após o jantar.


Mandamentos do fibromiagico
- Aprenda a dizer não;
- Estabeleça metas e cumpra-as;
- Reconheça seus limites e respeite-os;
- Focalize o presente;
- Reavalie suas crenças;
- Antes de julgar, pense;
- Não tente, faça;
- Abandone o perfeccionismo;
- Não se sinta inferior;
- Aceite ajuda;
- Observe os comportamentos que interferem negativamente nas suas relações.





Vale a pena dar uma passadinha nestes sites:
http://adoratual.wordpress.com/category/o-que-e-fibromialgia/
http://www.fibromialgia.com.br/

http://www.bancodesaude.com.br/fibromialgia/fibromialgia
http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000427.htm

http://www.clinicagoldenberg.com.br/fibromialgia.asp?areaid=3
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/2752

http://www.cibersaude.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=2007

* * * * *

3 de jun de 2009

Por que sou ET

Decidi criar um blog porque descobri que quando escrevo consigo entender melhor as coisas e também colocar tudo em ordem aqui dentro onde parece existir um grande turbilhão.
Já que vou escrever, porque desperdiçar isso.
O fato de publicar me obriga ser caprichosa ao escrever e é também uma oportunidade de exercitar esta atividade.
Estou aceitando criticas e sugestões.


Infelizmente sou uma pessoa muito sensível. Algumas pessoas podem achar isso lindo, mas não é bem assim, essa característica não me ajuda em nada a viver neste mundo e apesar dos meus 47 anos ainda não aprendi a lidar com isso.
As coisas que me acontecem exercem um grande efeito sobre meus sentimentos, por isso eu brinco dizendo que sou um ET, me sinto muito diferente das outras pessoas, porque percebo que elas passam pelas adversidades com muito mais facilidade que eu. Por sofrer muito quando acontece alguma coisa desagradável acabo me isolando um pouco para que eu não me envolva com nada que possa me machucar.
Apesar dessa característica não sou uma pessoa fraca, não tenho medo de nada e consigo passar por tudo só que com muito sofrimento emocional. Por causa da minha sensibilidade faço o possível para que tudo esteja bem e tranqüilo ao meu redor, para que a vida seja mais agradável e menos penosa para mim, e quero acreditar que esse comportamento só pode fazer bem para os que convivem comigo.
A convivência comigo pode parecer difícil, mas para qualquer pessoa se relacionar bem comigo são necessárias apenas poucas coisinha básicas, como por exemplo, sinceridade, delicadeza, educação, bom humor, companheirismo, honestidade, etc. Ou seja, são necessárias somente coisas boas, que vão fazer bem para mim e para todos os que convivem comigo porque tendo essas coisinhas básicas as pessoas podem conseguir o melhor de mim.
Quando alguém ou alguma situação estão me machucando muito, assim que possível eu fujo, dou sumiço, desapareço e não é por covardia, é para me preservar de mais sofrimento. Cada um sabe dos seus limites.
Eu desapareço e não dou o troco porque sei que a vida se encarrega disso, já constatei esse fato diversas vezes! Esta é a verdadeira justiça, não tem saída, ninguém escapa dela, sempre vamos receber nossos créditos e pagar nossas dividas.
Lendo sobre astrologia e observando as pessoas cheguei à conclusão de que as características descritas em cada signo são verdadeiras. No meu caso sou do signo de Peixes com ascendente em Peixes, ou seja, sou uma sofredora ao quadrado!
Alem da minha sensibilidade também sou uma sonhadora, às vezes me pego viajando na maionese, sonhando acordada mesmo!
O nome do blog tem tudo a ver comigo que sou uma ET que adora viajar na maionese, alem disso quero abordar todo tipo de assunto que for surgindo ou do qual eu tenha vontade de tratar.
Então não deixem de viajar comigo, serão todos bem vindos!
(Esclarecimento: Escrevi este texto quando o blog tinha o nome de "Viagens de uma ET")
O texto acima é de minha autoria.

2 de jun de 2009

Minha Nani

Hoje vai ser mesmo um bom dia!
Minha cadelinha Nani esteve internada de sábado para domingo por conta de uma diarréia causada por alguma coisa que ela comeu e lhe fez mal!
Não me perguntem o que ela comeu porque não sei! Aqui em casa tomo o maior cuidado, o problema é quando saímos para passear e ela vai varrendo a rua com o focinho e lambendo tudo o que aparece principalmente folhas. Procuro dar broncas, mas me canso porque teria que passar o tempo todo falando não, não, não, não.
Ontem à tarde ela não quis comer e vomitou! Isso me consumiu porque quando um cachorro não quer comer é que tem alguma coisa errada. Liguei para o veterinário, mediquei e mais tarde ela aceitou comer alguma coisa. Ufa! Que alívio!
Hoje ela amanheceu mais alegrinha e espertinha como sempre. Vamos ter um excelente dia!



Quem tem cachorro sabe, é com um bebê que não sabe falar onde dói.
Quando ficam doentinhos é bem angustiante. Aqueles olhinhos cheios de brilho passam a nos olhar com pesar, ficamos em alerta e preocupados até que esteja tudo bem. Eles fazem parte da família e temos um amor muito grande e especial por eles.

Desejo a todos um dia MARAVILHOSO!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...