27 de abr de 2010

Agradecimentos


Meus queridos visitantes.

 
Fiz esta postagem única e exclusivamente para agradecer a todos pela visitação em meus blogs.
Agradeço imensamente pelas visitas vindas do Japão, de Portugal, dos Estados Unidos da América e em especial aos visitantes do Brasil que são a maioria, agradeço também aos visitantes vindos de todos os outros países que não mencionei porque são muitos, e que tem chegado até aqui de alguma maneira. Todas as visitas são muito importantes para mim.
Estou adorando ser blogueira! Cuido dos meus blogs com muito carinho e capricho e meu desejo é acrescentar algo útil e bom em suas vidas.
Voltem sempre que desejarem. São todos muito bem vindos!
Muito obrigada

O texto acima é de minha autoria.
* * * * *

18 de abr de 2010

Fibromialgia - Sintomas e tratamento


A Equipe de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP preparou mais um vídeo sobre a Fibromailgia.
O vídeo mostra a entrevista com duas pacientes com Fibromialgia que relatam como conseguiram superar suas dores e uma delas sou eu.

Porque estou neste vídeo? Porque sou paciente da Dra. Thais Saron e fui convidada a participar colaborando com meu depoimento.

Vídeo: Entrevista de pacientes com fibromialgia.
Ele pode ser visto no Youtube e no blog "A dor atual" da Dra. Thais Saron, médica fisiatra do Hospital das Clínicas.

O blog "A dor atual" traz informações para quem sofre de dor crônica

Youtube

* * * * *

15 de abr de 2010

Depressão


A coisa está ficando feia por aqui. A depressão está mesmo voltando e sem explicação e estou engordando novamente.


Eu estava eliminando vagarosamente os onze quilos que havia engordado, mas infelizmente engordei quatro. Como não deixei de tomar o antidepressivo estou achando que vai ser necessário mudar a dosagem ou então trocar de medicamento, mas isso quem vai definir é o médico, é claro. O problema é que a consulta ainda está longe e vou ter que agüentar esta fase ruim, e põe ruim nisso!
Eu fico imaginando o que passa pela cabeça das pessoas que não tem este problema. Eu mesma há muito tempo atrás, quando ouvia falar de depressão, achava que era doença de rico e que era capricho de pessoas que não tem o que fazer.
Hoje como vivo o problema posso sentir na pele o preconceito da maioria. Eu procuro não falar sobre isso com as pessoas com quem converso porque sei qual é a reação, eu só falo sobre o problema com pessoas que me conhecem bem e das quais não espero julgamento e mesmo assim procuro não entrar em detalhes porque a maioria não gosta de ouvir falar sobre os problemas de outra pessoa, só se interessam pelos seus, não é mesmo? As pessoas gostam de ser ouvidas, mas na hora de ouvir todo mundo tira o corpinho fora bem rapidinho. Vocês podem dizer que estou sendo hipócrita, mas eu costumo ser uma boa ouvinte, por isso mesmo é que fico tão magoada quando me deparo com a frieza das pessoas. Quando fico chateada por sentir que não recebo a mesma consideração, me vem à cabeça uma frase: “Feliz do homem que não espera nada, pois nunca terá desilusões.” (Alexandre Pope). Parece simples não? Mas não é nada fácil tentar ser assim.
Certa vez, em uma loja onde costumo ir, não vou citar qual, um tipo de ponto comercial do qual a maioria precisa, lá aparece todo tipo de pessoa que mora no bairro e a maioria se conhece pelo menos de vista, é um local onde se tem um contato bem próximo com os funcionários e proprietários. Eles tinham uma cliente que estava com depressão e era visível que ela não passava pela melhor fase da sua vida, estávamos sendo atendidas e assim que ela saiu, eu fiz um comentário solidário sobre a situação dela com o proprietário da loja e o que ele disse foi de uma frieza tão grande, de uma falta de consideração e de compreensão sem tamanho que nem consegui disfarçar meu espanto! Fiquei congelada sem ter o que dizer. Saí de lá chocada porque não esperava por esta reação, desejei sinceramente que ele nunca passe por isso e pensei, bem vamos tentar perdoar os ignorantes que não sabem os que fazem! Depois deste dia não consigo olhar para ele sem deixar de me lembrar da sua frieza e infelizmente passei a vê-lo com outros olhos e também não posso deixar de me lembrar da época em que a mãe dele adoeceu gravemente, situação que o deixou bastante fragilizado e de como ele ficava feliz e de como se sentia reconfortado quando recebia dos clientes a atenção e a solidariedade merecida diante do problema da mãe. Todas as pessoas adoram quando alguém comemora com elas alguma vitória por mais insignificante que seja, mas é bem difícil receber o mesmo retorno e encontrar pessoas que lhe dêem atenção e que comemorem qualquer conquista sua com você! O que será isso? Egoísmo? Frieza? Falta de consideração?
Eu sigo o lema que diz para não fazermos aos outros, o que não gostaríamos que fizessem conosco, é claro que eu já devo ter errado e não deve ter sido só uma vez. Procuro seguir assim porque não gosto de ser magoada que é uma sensação bem ruim. O difícil é não esperar nada de ninguém.
A probabilidade de passarem por aqui pessoas que não tem depressão é mínima, mas mesmo assim não vou desistir. Tentarei descrever o que sente uma pessoa com depressão e torcer para que sejamos mais bem compreendidos.

Tristeza
Falta de interesse
Falta de vontade
Vontade de sumir. Morrer talvez?
Vontade de chorar sem motivo
Sente-se muita fragilidade
Sono, muito sono
Vontade de ficar só deitada
Não ter vontade de sair de casa para nada
Parece que nenhum estimulo te deixa animada
Falta vontade para se cuidar
A vida perde a graça
O dia pode estar lindo, mas não conseguimos comemorar
Nada tem valor
Solidão, a depressão é um prato saboreado em silêncio
Sentimento de culpa por não achar nada interessante
Ansiedade
É o que consegui descrever. Acredito que outras pessoas com depressão poderiam acrescentar muitas coisas mais.
 
O texto acima é de minha autoria e abaixo é uma frase que encontrei no site:


O mundo ainda vai se acabar no seu individualismo e congelar na frieza das pessoas que aqui vivem. Eu estou tentando não ser uma delas. Não aqui, nesse mundo. (Luara Quaresma)

* * * * *

8 de abr de 2010

Fibromialgia, estresse e depressão


Andei meio sumida, não porque melhorei, estou tendo mais uma crise de depressão, mas já estou melhorando novamente. Essa deprê é uma montanha russa que me leva à altos e baixos.


É interessante perceber que a maioria dos fibromialgicos que criaram um blog sobre fibromialgia, pararam de postar depois que melhoraram. Eu farei todo o possível para continua a postar mesmo depois da melhora porque sei que existem muitas pessoas por ai sofrendo como eu já sofri e a intenção do meu blog é divulgar a síndrome para pessoas com dor que não sabem que são fibromialgicos, para que fibromialgicos com dor encontrem algum alento e percebam que não estão sozinhos, para parentes de fibromialgicos, amigos de fibromialgicos e a quem possa interessar e tem mais, adorei ser blogueira!
Não estou criticando as pessoas que pararam de postar, acho compreensível que isso aconteça, porque a vida deve ficar muito mais interessante quando ocorre essa melhora, não posso dizer cura porque parece que isso não existe, mas pelo que sei algumas pessoas conseguem viver bem com o controle do problema e pelo que estou percebendo o segredo é fazer atividade física, mesmo que com alguma dor. Eu ainda chego lá!
Infelizmente ainda não cheguei neste estágio e sinto que estou estagnada, meu tratamento anda a toque de tartaruga, para que eu possa iniciar minha reabilitação tenho que fazer um exame e este já foi remarcado algumas vezes, não me pergunte por que, não sei responder, mas estou tendo paciência por saber que onde estou me tratando terei tudo o que necessito.
Nem tudo está em nossas mãos, não estamos aqui sozinhos e não conseguiríamos viver sozinhos, tente fazer qualquer coisa sem que outras pessoas não estejam envolvidas, é simplesmente impossível!
Tenho percebido que o que tem me feito muito mal é o estresse. Este tem sido meu atual e verdadeiro vilão e fujo dele como o Conde Drácula que corria de uma réstia de alho.
O estresse acontece quando menos se espera! Está tudo calmo e tranqüilo e de repente ele aparece, vem como uma tempestade que surge do nada e que passa destruindo tudo e no dia seguinte, tem a ressaca! Surgem as dores pelo corpo e na alma. Infelizmente sou uma pessoa sensível e as coisas me afetam, não gosto de ser assim, tenho lutado contra isso e estou tentado me fortalecer. Gostaria de ser como a maioria que me parece não se abalar com nada ou que pelo menos tem uma casca mais resistente contra qualquer abalo.

O texto acima é de minha autoria.

Viajando por ai, olha o que encontrei!
Mais uma pérola solta, rolando por ai!


Encontrei esta poesia linda em um blog

Estresse

Há muito caminho na borda da boca de um vulcão,
mas preciso caminhar na neve.
Com a vida sempre em erupção
quase explodindo, minha cabeça ferve.

As vezes sinto uma vontade imensa de me desligar
e desaparecer como se nunca tivesse existido.
E assim, todo peso do mundo do meu ombro tirar
para então dos meus pecados, me sentir remitido.

Estresse, navalha afiada que retalha a mente,
doença que chafurda na lama o homem perdido
flagelando seu corpo e deixando sua alma doente.

A placidez dos que aprenderam a meditar
é o caminho que nos levará para dentro de nós,
único lugar onde poderemos nos curar.

Márcio de Sousa
 
* * * * *
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...