11 de jul de 2010

Fibromialgia e alimentação


Sabendo que a alimentação é fundamental para a saúde fiz uma pesquisa sobre a sua influência na Fibromialgia.
Esta postagem ficou um pouco extensa porque encontrei várias matérias interessantes.
Estou postando as informações sobre alimentação e os links para quem tiver interesse em ver os artigos inteiros que tratam de assuntos relacionados à Fibromialgia. 
Este artigo é um dos melhores que encontrei durante a minha pesquisa. O link encontra-se abaixo.


IMPACTO DA DIETA NA FIBROMIALGIA
A influencia da dieta sobre as manifestações da fibromialgia deve ser focalizada quanto ao seu conteúdo, no sentido de promover a saúde do paciente. Além disso, as manifestações clínicas experimentadas pelos pacientes, como a dor, a depressão e a fadiga podem prejudicar o preparo dos alimentos e o apetite.

A dieta ideal
Uma dieta balanceada surte efeitos favoráveis sobre o, assim chamado, equilíbrio do organismo em suas funções, assim como na prevenção de doenças. No sentido de evitar distúrbios cardiovasculares que podem limitar a atividade física, ou doenças metabólicas como o aumento de colesterol ou o diabetes melitus, alguns cuidados devem ser observados quanto a dieta:

- Reduzir o conteúdo de açúcar dos alimentos
No sentido de evitar o sobrepeso, o açúcar deve ser substituído por dextrose, sucrose, mel. Os adoçantes devem ser usados com moderação.

- Reduzir o conteúdo de sal dos alimentos
O sal favorece o acúmulo de líquidos no organismo, acarretando aumento da pressão arterial e sobrecarga para o sistema cardiovascular. Deve-se optar pelo sal com baixo teor de sódio, e mesmo este deve ser usado com moderação pois contém potássio, o qual pode ser prejudicial para pacientes nefropatas. A complementação do tempero dos alimentos deve ser feita com condimentos naturais como ervas, cebola e alho, que são muito saudáveis.

- Reduzir o conteúdo de gordura dos alimentos
As gorduras dos alimentos favorecem o aumento do colesterol e o excesso de peso. Deve-se dar preferência para carnes brancas, reduzindo-se ao máximo o consumo de carnes vermelhas, especialmente a de porco. Deve-se evitar a adição de gordura, seja ela qual for, aos alimentos e ainda, deve-se evitar o consumo de mais de duas gemas de ovo por semana.

- Limitar o consumo de álcool
* Álcool fornece o que se chama de caloria vazia, ou seja, aquela que sacia a fome mas não oferece nutrientes. Além disso, quando ingerido a noite acarreta um sono superficial, de má qualidade, apesar de acelerar o processo de adormecer.
* Quando usado em excesso, o álcool tem uma série de efeitos nocivos sobre o sistema neurológico e musculoesquelitico, acarretando processos dolorosos e fraqueza muscular.
* Além disso o álcool interfere com a ação de diversos medicamentos utilizados no tratamento da fibromialgia, potencializando seu efeito e aumentando a toxicidade.

- Aumentar a quantidade de fibras, frutas, vegetais
* Alimentos com carboidratos complexos fornecem a sensação de plenitude e ajudam no funcionamento intestinal. A sabido que o consumo de grãos e farinhas na forma integral auxiliam na prevenção da arteriosclerose e evitam alguns tipos de tumores do tracto digestivo.
* Deve-se levar em conta o alto valor nutritivo de grãos como o feijão, o milho e outros cereais.
* Os tubérculos, como a batata e a mandioca, devem ser consumidos cozidos, ao invés de fritos.

- Aumentar a ingestão de líquidos.

As modificações na dieta devem ser feitas de forma gradual, visando o bem-estar do paciente. As alterações atuam no sentido de se reduzir a fadiga, melhorar a qualidade da evacuação, aumentar a hidratação do organismo, evitar distúrbios da digestão e o aumento do peso, por vezes favorecido pelo uso concomitante de medicamentos.

Uma dieta adequada é capaz de fornecer mais de 40 tipos de nutrientes para o organismo, tornando-se desnecessário, portanto, o uso de vitaminas ou suplementos alimentares, que além de onerosos podem interagir com outros medicamentos em uso.

A escolha dos alimentos
Considera-se uma boa dieta aquela que abrange uma grande variedade de alimentos, de acordo com uma pirâmide, na qual cinco grupos de alimentos são considerados:
Gorduras e açúcar
Laticínios e Carnes
Frutas e Vegetais
Cereais, grãos e massas

Por ocasião da análise dos componentes nutricionais de um alimento a ser comprado, deve-se priorizar os alimentos contidos na base da pirâmide, e dar menor importância aos alimentos que estão mais no topo.

A atividade de preparar os alimentos
- Prepare os alimentos em etapas, para não se sobrecarregar de serviço.
- Adote boa postura enquanto prepara os alimentos.
- Deixe sempre uma reserva de alimentos em casa, na eventualidade de não ter disposição de ir as compras.
- Adote técnicas modernas da culinária como o congelamento de alimentos pré-preparados e uso do forno de microondas.

Fonte:



Encontrei esta matéria em um blog que aborda o tema alimentação saudável. Além deste artigo, o blog tem várias outras informações sobre fibromialgia. O link encontra-se logo abaixo.
  
ALIMENTAÇÃO E FIBROMIALGIA
As deficiências de ômega 3, ferro, vitaminas do complexo B, magnésio e zinco estão relacionadas com a fadiga, falta de disposição, assim devem ser fornecidos diariamente.
Betacaroteno, vitaminas C e E são antioxidantes essenciais, as frutas, verduras, leguminosas e cereais integrais são ricos em antioxidantes. O selênio, mineral antioxidante, deve estar presente na dieta, encontrado nas castanhas, peixes, germe de trigo. Os cuidados com a alimentação também visam oferecer energia ao organismo, evitar problemas intestinais, aumentar a hidratação, melhorar a qualidade do sono. Procure consumir proteínas a fim de obter todos os aminoácidos essenciais, como o triptofano, nutriente encontrado nas carnes, ovos, laticínios. O triptofano é precursor da serotonina que atua no cérebro auxiliando na sensação de bem-estar, ajudando a melhorar o humor, evitando a depressão e insônia. Algumas recomendações são importantes: não deixe de realizar todas as refeições e em horários regulares, manifestações como a dor, fadiga podem prejudicar o apetite e o preparo dos alimentos. Procure realizar o desjejum, faça pequenos lanches entre as principais refeições, para manter níveis adequados de glicose e evite exageros alimentares, que podem gerar uma hipoglicemia, sensações de fraqueza e sonolência.
Evite bebidas alcoólicas, o álcool piora a fadiga, como também atrapalha o sono.
Estudos mostram que pessoas mais bem humoradas sentem-se melhor e menos cansadas, pratique o bom humor, faça atividades físicas para estimular a produção de endorfina, noradrenalina e junto a isso, procure consumir todos os macronutrientes, como proteínas, carboidratos complexos e lipídeos em quantidades adequadas.
Por Greice Caroline Baggio.

Fonte:


Este artigo interessante veio de um blog onde encontrei uma relação de alimentos que fornecem nutrientes e substancias que aumentam a produção de neutrotransmissores responsáveis pelo bem estar. O link com a postagem completa encontra-se abaixo.


FIBROMIALGIA E A ALIMENTAÇÃO
O triptofano e carboidrato: resumindo, são substancias que fornecem a serotonina que é o neutrotransmissor capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, relaxar e até induzir e melhorar o sono.
Onde encontrar?
Triptofano: carnes magras, peixes, leite e seus derivados, nozes e leguminosas.
Carboidratos: pães, cereais, biscoitos, massas e arroz (tudo integral), frutas, legumes, chocolate amargo (com moderação).

Proteinas: a proteina leva nosso organismo a produzir suas proprias proteinas – um aminoacido chamado de tirosina que está relacionado a produção de dopamina e adrenalina: neurotransmissores que promovem o estado de alerta e a alegria.
Onde encontrar: Peixes, carnes magras, aves sem pele, ovos, leguminosas, nozes e castanhas, leite e derivados…

Folato (ácido fólico): Um dos mais potentes antidepressivos naturais.
Onde encontrar: espinafre, feijão branco, laranja, aspargo, couve, maça e soja

Vitamina B6: produz os neurotransmissores norepinefrina e serotonina, responsaveis pela melhora do humor…
Onde encontrar: frango, atum, banana, cereais, levedo de cerveja, arroz, cará, alho e sementes…

Calcio: ajuda a controlar e reduzir a irritabilidade e o nervosismo, reduz os efeitos da TPM, participa da transmissão de impulsos nervosos e contrações musculares, regulariza a presão arterial e os batimentos cardíacos.
Onde encontrar: leite e derivados (magros).

Magnesio: colabora diretamente com o trabalho do calcio no organismo, tambem é responsavel por regularizar os nives de serotonina, a produzir energia, manter a função cardiaca normal e faz milagres com os impulsos nervosos.
Onde encontrar: derivados de soja, salmão, espinafre, aveia, arroz integral…

Selenio: potente contra depressão, irritação e ansiedade – atua diretamente no estado de humor.
Onde encontrar: castanha do Pará, amendoas, atum, sementes de girassol, trigo integral, peixes…

Omega 3: além de proteger o coração e as arterias, auxilia na redução do colesterol, mantem os nives da pressão arterial, fortalece o sistema imunologico e ainda auxiliam nos tratamentos contra depressão.
Onde encontrar: salmão, atum, arenque, bacalhau, sardinha, óleos de peixe, sementes de linhaça, abacate...

Pimenta: libera noradrenalina e adrenalina, responsaveis pelo estado de alerta e melhora no ânimo de pessoas que sofrem de depressão.

Camomila: acalma, diminui ansiedade, depressão e de quebra auxiliam nos tratamentos de insonia.

Maracujá (idem a camomila)

Café: se tomado com moderação (3 a 4 por dia) pode prevenir a depressão, melhorar a concentração, o humor e o estado de espirito. O ideal é coar em coador de papel.

Fonte:


Este artigo veio do blog A DOR ATUAL, da médica fisiatra Dra. Thais Saron. O link está logo abaixo.

ALIMENTAÇÃO E DOR
Nos pacientes que sofrem de dor crônica, a dieta é ainda mais importante, pois um organismo equilibrado enfrenta melhor os efeitos secundários provenientes da dor.
A maioria destes pacientes com dor crônica, adotam imobilismos, ou seja, procuram não movimentar o local dolorido, o que favorece o sedentarismo e a obstipação. A dieta balanceada favorece a perda de peso e o funcionamento intestinal que por sua vez, podem intensificar a dor quando estão alterados.

Alguns nutrientes são responsáveis pela síntese dos neurotransmissores (mensageiros cerebrais) associados à sensibilidade da dor e à sensação de bem-estar.

Exemplos:
Triptofano e Serotonina
Os efeitos da dor podem ser diminuídos com o consumo de fontes alimentares ricas em triptofano, o aminoácido responsável pela síntese de serotonina. Ele é encontrado em alimentos como carnes magras, leite desnatado e banana, mas para ser sintetizado (se transformar em serotonina), precisa do auxilio das vitaminas C, B1, B2, B3, B6, do ácido fólico e do magnésio.

Biotina
A biotina atua no combate das dores musculares e o magnésio (mineral) pode minimizar os efeitos das dores de cabeça, pois atua como relaxante muscular.

Carboidratos
Outro elemento importante para a “fabricação”de serotonina é o carboidrato.
É recomendável que 50% a 60% da ingestão calórica diária seja composta por carboidratos, presentes nas frutas, pães, batata e cereais, de preferência os integrais.
Tome cuidado com o uso de açúcar não proveniente dos alimentos naturais, pois pode provocar uma sensação imediata de energia, mas o pico nos níveis de glicose no sangue depois leva à sensação de fadiga e moleza.

Minerais
A ingestão de alimentos ricos em magnésio (encontrados no espinafre, soja, caju, aveia e tomate), ácido fólico (laranja, maçã e folhas verdes), cálcio (leite, iogurte e queijos magros) e selênio (castanhas, nozes, atum e semente de girassol) ajudam a melhorar a sensação de bem estar e diminuem a intensidade da dor.

Vale lembrar que o efeito desses nutrientes não é imediato e a alimentação é apenas um dos pilares do tratamento. Se você tem dor crônica a reeducação nutricional é uma das partes do tratamento de reabilitação e deve ser indicada pelo médico e realizada por um nutricionista ou nutrólogo.
Por outro lado, existem alimentos que são os vilões da história e podem favorecem o aparecimento de dor, a mais comum é a enxaqueca. A alimentação pode ser a causa de aproximadamente 20% das enxaquecas.

Alguns nutrientes que podem causar enxaqueca:
- Aminas: Os alimentos que contêm aminas bioativas, tais como tiramina, feniletilanina, octamina, histidina e triptaminase podem desencadear crises.Exemplos de alimentos ricos em aminas são: Queijos maturados, cerveja, casca de banana, embutidos, repolho fermentado, molho de soja, chocolate, iogurtes, passas, figo, vinhos tintos e carnes defumadas.

- Cafeína: Alimentos ricos em cafeína provocam a constrição das artérias, causando assim a crise de enxaqueca. Cafeína está presente no café, coca-cola e chás.

- Bebidas alcoólicas: Está relacionado ao conteúdo de histamina e tiramina (aminas) encontradas em vinho tinto e cerveja.

- Lipídios e ácidos graxos: Níveis elevados de lipídeos plasmáticos e ácidos graxos livres, como o ácido linoléico e o oléico podem estar envolvidos no desencadeamento das enxaquecas vasculares. Exemplos: Nozes, castanhas e similares e alimentos ou pratos muito gordurosos.

- Aspartame: É um tipo de adoçante, o dipeptídeo do ácido aspártico e um metil éster da fenilalanina. É umas das substâncias com maior número de relatos como desencadeante de crises de enxaqueca.

- Nitratos e nitritos: Presente nas carnes curadas (salame e presunto), peixes em conserva, patês e caviar.

- Frutas cítricas: limão, laranja, abacaxi, assim como outras frutas, a banana, ameixa e abacate.

- Vegetais: feijão, vagem e cebola.
Para as pessoas que sofrem de enxaqueca, é fundamental o tratamento médico especializado para se identificar a causa(qual alimento desencadeia sua crise) e tratar o sintoma da forma correta.

Cuide bem da sua saúde, faça as combinações adequadas e assim evite as tão incômodas dores de cabeça.

Fonte:


Esta matéria, eu encontrei em um site que trata de saúde, alimentação e bem-estar. O link encontra-se abaixo.

DIETA DIMINUI OS DESCONFORTOS DA FIBROMIALGIA
Quem apresenta quadros de dores crônicas precisa de proteína, ferro, cálcio e vitaminas do complexo B. Os medicamentos costumam dificultar a absorção desses nutrientes e essa carência pode estar relacionada ao aumento do desconforto generalizado. "Se há falta de proteínas, o corpo vai roubá-las dos músculos, que ficam ainda mais sensíveis", explica a nutricionista Renata Rothbarth, que integra o corpo clínico das Clínicas Anna Aslan.
A seguir, a nutricionista lista alguns alimentos que devem fazer parte da dieta do paciente fibromiálgico:

Triptofano: Aminoácido antidepressivo que ajuda a sintetizar a serotonina. A serotonina ajuda a regular a sensação de dor, do humor e do sono. Fontes alimentares: ovos, carnes, leite, banana, iogurte, queijo, frutas secas, ômega 3 e chocolate.

Magnésio: Mineral que ajuda no relaxamento dos músculos. Função: síntese protéica, contractilidade muscular, excitação dos nervos. Fontes: cereais integrais, vegetais verdes escuros, nozes, damasco seco, gérmen de trigo, grãos de soja, carnes, leite.

Cálcio: Mineral importante para contração dos músculos. A falta de cálcio pode causar câimbras. Fontes: leite e derivados, coalhada, queijo, couve, brócolis, flocos de cereais, gergelim, amêndoas, castanha do Pará, farinha de soja.

Vitamina E: Ajuda na prevenção de câimbras nas pernas, que costumam acontecer por causa do aumento da circulação sangüínea. Função: Potente antioxidante. Previne danos à membrana celular e aumenta a absorção de vitamina A, além de proteger as hemácias. Atua também na manutenção do tecido epitelial. Fontes: nozes, germe de trigo, carnes, amendoim, gema de ovo.

Manganês: Estimula atividades enzimáticas, tais como antioxidação e produção de energia. Fontes: cereais integrais, avelã, grãos de soja.

Fonte:

 
Esta é a parte de um artigo sobre Fibromialgia onde abordam a alimentação. Encontrei em um site que fala de nutrição. O link encontra-se abaixo.


ASPECTOS FISIOPATOLÓGICOS E NUTRICIONAIS DA FIBROMIALGIA
Alimentos naturais, hortaliças e legumes, menor quantidade de proteína animal, e maior quantidade de proteína vegetal, associados ao consumo de grandes quantidades de frutas, proporcionam um estado mais saudável aos tecidos. O uso prolongado de analgésicos aumenta a excreção de ácido ascórbico e potássio, podendo proporcionar uma deficiência de ferro e ocasionar uma anemia. A influência da alimentação sobre as manifestações da fibromialgia deve ser focalizada no sentido de promover a saúde e o bem estar do paciente.

Fonte:

 
O site onde encontrei estas informações pertence a uma médica clínica geral com formação em homeopatia e medicina tradicional chinesa. O artigo é enorme e muito interessante, estou postando somente a parte onde ela aborda o tema alimentação na Fibromialgia. Logo abaixo tem o link do site.


A DIETA INFLUENCIA?
Recomenda-se uma mudança na dieta discutida no artigo publicado pelo Dr. Logan que consiste em não ingerir toxinas como o glutamato monosódico, em aumentar a ingestão de alimentos que diminuam o potencial inflamatório, melhorar o stress oxidativo e melhorar a flora intestinal . No encontro anual do Colégio Americano de Nutrição realizado na Florida em Outubro de 2001, um estudo demonstrou que após a eliminação por duas semanas de alimentos como o milho, trigo, leite e açúcar quase a metade dos pacientes investigados relataram uma redução significante da dor e uma redução de seus sintomas como dores de cabeça, fadiga, azia, arrotos e gases que voltaram quando esses alimentos forma re-introduzidos.

Fonte:


Encontrei os dois artigos a seguir no mesmo site. O primeiro é bem pequeno, mas achei muito interessante e o segundo diz que uma pessoa com fibromialgia deve evitar os cítricos.
  
A FIBROMIALGIA está ligada á saúde do fígado, baço e pâncreas, bem como a fatores emocionais como um trauma psicológico por exemplo, sendo que, vinte e cinco por cento das pessoas apresentam depressão associada.
A alimentação do paciente com fibromialgia deve ser pobre em produtos industrializados, leite, queijos e temperos carregados em produtos químicos, á fim de promover a desintoxicação do fígado e intestino tratando uma das causas da moléstia. Deve-se dar especial atenção á refeição noturna que precisa ser desintoxicante. Seria produtivo nesse caso ingerir frutas, legumes e verduras. Sob o olhar da nutrição o tratamento é feito através da suplementação de minerais e vitaminas por cápsulas ou dieta orientada.

Veja o artigo completo:


SAÚDE E LARANJA
Como todos os alimentos, há algumas contraindicações, portanto, fique atento.
“Pessoas com alergia a frutas cítricas ou com problemas como fibromialgia (tensão muscular em vários pontos do corpo que gera dor crônica) também devem evitar cítricos, e como o suco de laranja tem alta concentração de açúcar natural, não deve ser consumido sempre por diabéticos”, orienta Gabriela Cunha.

Veja o artigo completo:


Este artigo é muito interessante, porém em certos trechos o texto é um pouco confuso, tenho a impressão de que foi traduzido para o português com a ajuda de algum tradutor de texto. É preciso atenção para compreender o texto. No site tem mais artigos sobre Fibromialgia e ao link encontra-se abaixo.
  
ÔMEGA 3 E ÔMEGA 6 INFLUENCIAM NA DOR CRÔNICA DA FIBROMIALGIA
Existem muitas causas da fibromialgia. Os clássicos são os traumas, toxinas e estresse mental. Trauma inclui grandes traumas, como acidentes automobilísticos, lesões desportivas, deslizamentos e quedas e lesões. Micro-traumas incluem postura anormal, lesões por esforços repetitivos e ergonomia.
Os sintomas da fibromialgia podem vir de estressores químicos, como o açúcar, xarope de milho, frutose, álcool, rapé, drogas, MSG, aspartame, corantes artificiais, uma infecção viral, bem como as deficiências de vitaminas e nutrientes. As deficiências mais comuns são a tiamina, magnésio, manganês, ácido málico, vitamina B6 e vitamina E. Além disso, o corpo e inchaço generalizado pode ser produzida como resultado de um desequilíbrio de Omega 3 e Omega 6 ácidos gordos.
O stress mental pode ocorrer devido à ansiedade, problemas financeiros, problemas de relacionamento, depressão, tédio, solidão, falta de propósito na vida, etc)


Uma abordagem holística para a cura da fibromialgia deve incluir o seguinte:
1. Exercício (30 minutos de exercício cardiovascular 3-4 dias por semana)
2. A eliminação de irritantes químicos (que podem envolver uma desintoxicação de 10-28 dias para livrar o corpo de toxinas acumuladas).
3. Todo o alimento da dieta nutricional (consumo de alimentos em sua forma mais crua, natural – com um forte enfoque em produtos orgânicos).
4. Suplementos nutricionais (incluindo óleos de peixe e complementa a fórmula de alta qualidade que inclui a tiamina, magnésio, manganês, ácido málico, vitamina E e vitamina B6).
5. A quiropraxia (que melhora a função, corrige a postura, restaura o arco de movimento normal e de flexibilidade e elimina o estresse sobre o sistema nervoso causados por vértebras desalinhadas).

Especialistas estão dizendo que, se você tem fibromialgia, você deve manter o seu emprego. Os resultados mostram que as mulheres com a doença têm mais probabilidade de ver mais melhorias e manter sua saúde se mantenha activo e em execução.
A fibromialgia é caracterizada por dor, rigidez do corpo, fadiga e insônia. Não se sabe muito sobre por que a doença ocorre e como evitá-lo. Embora alguns estudos têm sido conduzidos até agora os resultados têm sido mistos, deixando os médicos não podem concordar com uma visão unificada. Fibromialgia parece afetar principalmente as mulheres e é muitas vezes acompanhada de depressão.
Estudos anteriores sobre a fibromialgia têm sugerido uma ligação entre a saúde das mulheres com fibromialgia e emprego. Para explorar esta questão, a Dra. Susan Reisin e seus colegas da University of Connecticut School of Dental Medicine em Farmington fez uma de cinco estudo anos em mulheres com a doença.
O estudo é constituído de 241 mulheres em sua maioria brancos que foram 47 anos de idade no início do estudo. As mulheres no estudo tinham sido sofrem de fibromialgia para uma média de 5 anos e relataram altos níveis de fadiga, depressão e incapacidade funcional. Em uma escala de 1 a 100, as mulheres relataram uma média de 57 para a dor. Cerca de metade das mulheres estavam empregadas e metade não.
O que os pesquisadores encontraram foi interessante. Primeiro, eles descobriram que ele não é usado para manter o status dos países em desenvolvimento as mulheres, mas, eventualmente, descobriu que mulheres que estavam empregadas era uma diminuição significativa na depressão, fadiga e estado funcional. Em geral, o grupo sofreu uma diminuição significativa nos sintomas, mas aqueles que foram empregados tiveram maior declínio. Embora a depressão, fadiga e melhorar o estado funcional, não houve melhora da dor para ambos os grupos.
Os pesquisadores propõem que não tem usado para desenvolver a doença, mas também sugere que o emprego não oferece quaisquer consequências negativas quer. Pelo contrário, propõe-se que a manutenção do emprego pode ajudar pacientes com fibromialgia manter a sua saúde e reduzir os seus sintomas.
Uma doença crônica chamada fibromialgia ou FM, FMS é descrita como a fadiga combinadas localizados nos músculos, ossos ou articulações. Os homens podem ser afectados por esta, mas as mulheres são mais propensas a fibromialgia. Com o número de pessoas no mundo, de 3 a 6 por cento está a ter este tipo de situação, e o diagnóstico do presente não escolher qualquer idade. Só é possível evitar esse sintoma, mas não há medicação para isso. A sociedade médica não aceita o fato de que alguns médicos chamam a fibromialgia uma doença mental.
Pacientes que têm esta situação diz respeito FM impiedosamente na busca de uma cura para ela. Dentro de um período de tempo, desenvolveu uma opção, essa opção é usar um plano de dieta como um movimento de fibromialgia. Pacientes com FM pode diminuir a dor que eles sentem quando remover certos alimentos e esta é uma mudança de dieta para o FMS. O glúten é um dos elementos tidos quando você está em uma dieta para fibromialgia.
O glúten pode ser visto em todos os produtos de grãos e trigo, que é nativo. Para obter melhores resultados em termos de produtos do pão que o uso da chave primária é o glúten. Quando as pessoas vêem os sintomas da FMS é um fator que não pode digerir o glúten. Muitas pessoas que estão praticando a dieta para fibromialgia estão lutando para encontrar glúten produtos gratuitamente, mas hoje pode ser devido a melhoria do acesso ao glúten produtos gratuitamente. No mercado global, agora, um dos produtos estão crescendo sem glúten alimentos gratuitamente, pode fazer macarrão, pão para comer e apreciar os produtos feitos com trigo.
Um médico pode desencorajar a fazer dieta sem glúten alimentos livres para FMS. Esta decisão deve tomar o valor por conta própria. Informe o seu médico antes de tomar a decisão por razões de segurança. Os pacientes que tomam a coragem de tentar o glúten da dieta livre dá um comentário que se sentem menos dor como obter alguns conservantes e aditivos artificiais que podem desencadear a fibromialgia. Mas se for bem sucedido, você pode sempre voltar ao seu método usual. Analgésicos são uma dor para os bolsos, glúten produtos livres são muito mais baratos do que os analgésicos, mas pode ser caro do que os alimentos normais.
Se você é um dos pacientes com fibromialgia, é possível que o valor para tentar diminuir a sua dor, escolhendo a ação correta. Na primeira você terá uma dificuldade em adaptar-se alternativas para os seus produtos favoritos pão e cereais, mas você se acostuma. Depois de ter verificado que a dor pode ser reduzida em conta não tomar produtos contendo glúten novamente. Os pacientes alegam que caiu bem em levar a utilidade do glúten da dieta livre para a fibromialgia. Com o resultado positivo que pode lhe dar, e então talvez você deve considerar tomar.

Fonte:

* * * * *

3 comentários:

  1. Ola!Bem, com esta pesquisa toda ja nem preciso de pesquisar mais nada.....lol....
    Muitas duvidas tirei....Interessante!Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu tinha as dores da fibromialgia e hoje não tenho mais nada de dores e não tomo nenhum remédio!

    Qual o tratamento? LEMETERAPIA. Entre no site lemeinstituto com br e pesquise, baixe o livro gratuito, se puder faça o tratamento. Eu digo, por experiência, que vale a pena!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Glaucia. Já ouvi falar da LEMETERAPIA. É ótimo te seu depoimento favorável, vou dar uma boa olhada no site. Obrigada pela visita e por deixar seu comentário. Bjs

    ResponderExcluir

Gostou do que viu aqui?
Deixe seu comentário.
Responderei assim que possível.
E não esqueça de recomendar aos seus amigos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...