23 de jun de 2009

Fibromialgia e as crises




Minha situação já melhorou muito desde que estou me tratando, agora quando entro em crise não me desespero porque sei que ela não vai ser tão intensa nem tão longa como antes. Está sendo menos penoso lidar com o problema.
O que tem me ajudado muito desde o inicio, é ler tudo o que encontro sobre o assunto e escrever sobre como me sinto. Ler o depoimento de pessoas afetadas pela síndrome me ajudou bastante, foi isso que me levou a criar este blog, aqui posso desabafar um pouco e quem sabe ajudar alguém que tenha o mesmo problema.
O texto acima é de minha autoria.

No texto abaixo tem dicas muito boas e foi nele que encontrei a sugestão para escrever. 
O link do site encontra-se mais abaixo.


Como lidar com as crises de fibromialgia
Pacientes com fibromialgia (FM) ocasionalmente experimentam “crises” da doença, isto é, momentos quando os sintomas da fibromialgia pioram. Os sintomas que pioram geralmente são a dor, as alterações do sono e a fadiga. Saber lidar com estas situações é uma habilidade importante de ser adquirida. Um primeiro passo é tentar identificar o que desencadeia as crises. Na maioria das vezes, o paciente consegue definir algum fato ou situação que levou a uma piora do quadro. Um dos fatores mais comuns é o exagero na atividade do dia-a-dia, principalmente afazeres domésticos. Fatores emocionais também são uma causa importante das crises. Alterações climáticas podem aumentar a percepção dolorosa. Em algumas mulheres, as crises são sempre em período pré-menstrual, demonstrando que causas hormonais também podem estar atuando.
Reconhecendo estes desencadeadores, o paciente com fibromialgia pode ganhar algum controle sobre as crises, evitando ou tomando medidas preventivas sobre estes fatores.
Embora a atividade física seja fundamental para pacientes com FM, o excesso de atividade corporal pode levar a uma piora de sintomas. O paciente com FM está descondicionado fisicamente, e o exagero numa atividade doméstica ou no exercício pode desencadear uma crise que dure dias. É importante dividir tarefas que exijam esforço físico, não tentando “compensar” pelos dias perdidos .Também é importante não tentar esgotar as tarefas de uma só vez. Por exemplo, a tendência de uma dona-de-casa é sempre passar toda a roupa, para depois dobrá-la e guardá-la. Seria menos cansativo passar um pouco da roupa, depois guardar um pouco e voltar a passar. Isto faz variar os grupos musculares que estão sendo usados, e permite um melhor equilíbrio da fadiga muscular. Sempre se deve fazer alongamentos antes de qualquer atividade física, tanto no trabalho como no lazer. Se há a chance de haver mais dor por realizar certa atividade, usar medicações analgésicas antes desta atividade pode ser extremamente útil.
O estresse emocional não causa a FM, mas com certeza pode piorar os sintomas. Deve-se sempre manter atento se um quadro de depressão ou ansiedade estão surgindo. As condições do tempo também podem piorar os sintomas. Como isto não pode ser mudado, é interessante um aumento nas medicações para o paciente que sente que está mais sensível. Estas questões devem sempre ser discutidas com o médico.
Da mesma maneira, se a paciente sente piora durante o período pré-menstrual, ajustes podem ser feitos neste período em relação à medicação para dor, para o sono e para relaxamento muscular. Existem hoje medicações específicas para o período pré-menstrual, que devem ser usadas por todo o mês. Estas opções devem ser discutidas na consulta médica.
Outras dicas durante as crises: descansar bastante, usar formas de calor para aliviar a dor – banhos quentes (principalmente de banheira, se possível), compressas quentes e bolsas de água quente. Uma soneca de 30 minutos após um banho quente pode ser uma boa estratégia para aliviar a dor. Massagens, alongamentos também são boas opções, mas alguns pacientes podem não tolerá-los durante a crise. A acupuntura é uma boa opção para um alívio da dor nas crises. Procure fazer atividades que lhe dêem prazer, para ajudar no relaxamento. Respire fundo e devagar – a crise leva a um aumento no número de respirações (hiperventilação), o que pode levar a sintomas como tontura e amortecimentos, aumentando o estresse.
Procure pensar coisas positivas, repetindo-as com freqüência – “esta crise não durará para sempre” , “eu posso lidar com isso”, “eu farei isto ou aquilo para me sentir melhor”. Estes pensamentos lhe darão força para passar por este período difícil. Algumas pessoas gostam de escrever, e escrever sobre a FM, a crise e o que você está fazendo para ameniza-la já se provou muito eficiente para o sentimento de auto-estima do paciente.


Novas opções de tratamento na fibromialgia
Isostretching: A dor na fibromialgia, uma vez instalada, promove uma série de modificações no comportamento de nosso corpo. Um exemplo é a sensação de rigidez muscular. Essa tensão é representada pela contração exagerada de grupos musculares geralmente numa atitude de defesa frente à dor. O fato é que o processo dor-tensão muscular acarreta dificuldades funcionais e com o tempo a inatividade e o sedentarismo. Logo a desmotivação aparece e a cada tentativa de esforço a fadiga impede de começar ou manter atividades cotidianas. Todos estes fatores associados ao sono não reparador podem gerar o descondicionamento físico, de forma que o enfraquecimento muscular acaba piorando todo o processo. O Isostretching contribui no tratamento da fibromialgia como método auxiliar às terapias de combate a dor. Com ele é possível proporcionar ao corpo novas formas de manutenção da melhora do quadro doloroso, por meio da aquisição de uma nova postura, e do fortalecimento e alongamento muscular. É importante lembrar que apenas um profissional capacitado poderá prescrever exercícios que não agravem o quadro doloroso, uma vez que cada paciente deve ser orientado segundo suas necessidades e limitações. O Isostretching é um método ideal para terapias em grupo, o que torna o trabalho agradável e motivante para os praticantes, incentiva a sociabilização e a melhora da qualidade de vida.

Watsu: O Watsu representa uma modalidade terapêutica baseada nos conceitos do Zen Shiatsu, criada por Harold Dull em Harbin Hot Springs, na Califórnia. Com ela possibilita-se a utilização dos princípios físicos da água, entre eles a capacidade de flutuação do corpo, os efeitos do calor numa piscina aquecida a 34ºC e uma seleção de movimentos coordenados de alongamentos, trações e rotações numa coreografia harmônica que proporciona relaxamento físico e mental.
Por que propomos o Watsu no tratamento da fibromialgia? Feche os olhos e imagine-se flutuando nas águas quentes e silenciosas de uma piscina aquecida. Imagine seu corpo sendo sustentado sutilmente pelos braços de um terapeuta que gentilmente o entrega à água a cada respiração, tornando-o cada vez mais livre. Imagine a sensação de relaxamento do seu corpo na água, livre das tensões, movendo-se como uma onda, numa dança lenta de movimentos circulares, acolhido com todo o cuidado. O movimento contínuo do corpo entregue à água permite alongamentos sem resistência que se sucedem sem limitações, pois neste momento você não sente dor. Imagine toda a liberdade de seus movimentos em virtude de uma grande flexibilidade, do relaxamento, da respiração coordenada e da ausência da dor.

Lidando com o cansaço (fadiga)
O cansaço é um dos sintomas mais desafiadores para os pacientes com fibromialgia. Muitos pacientes já acordam cansados, com pouca reserva de energia para lidar com as atividades de um dia normal.
Algumas técnicas podem ser úteis para uma melhor de conservação da energia e redução do cansaço:

1) Planejar: organize suas tarefas de uma maneira racional. Deixe espaços no dia para descanso. Inclua sempre o tempo de fazer a atividade física nos momentos que estiver mais disposta, deixando para momentos em que estiver mais cansada, tarefas mais fáceis. Quando se sentir melhor, não tente “compensar” e fazer tudo o que você não fez nos dias anteriores.

2) Priorizar: Faça as coisas importantes primeiro; deixe coisas menos importantes para fazer outra hora. Organize suas tarefas em listas, numa ordem ordinal – as coisas mais importantes primeiro.

3) Eliminar: Pode ser que você tenha que eliminar tarefas que você fazia antes – evite ter coisas que dão muito trabalho para serem conservadas.

4) Delegar: A maioria das pessoas gosta de fazer as coisas pessoalmente ou que elas sejam feitas do seu jeito. Porém, haverá coisas que você terá que pedir para os outros façam. Peça ajuda, não reclame se os outros fizerem as coisas de uma maneira um pouco diferente da sua e sempre agradeça. Considere, se possível, contratar alguém que ajude no serviço mais pesado pelo menos uma vez por semana.

5) Organizar: Mantenha a casa organizada de maneira simples; remova móveis que não sejam necessários, dê roupas que você não usa, organize os objetos de limpeza e a despensa.

6) Aja de maneira lógica: Sempre simplifique a sua vida. Quando for ao mercado, compre coisas para serem estocadas, para que não precise voltar várias vezes. Sempre que sair de casa, tente aproveitar para comprar e fazer tudo em um só lugar (por exemplo, um hipermercado).

7) Use bem os seus horários de maior energia: Geralmente o período da manhã é melhor para quem tem fibromialgia. Deixe as tarefas mais importantes para este período.Tire uma soneca antes de sair à noite, para não se sentir tão cansada.

8) Permita-se estar bem: continue sempre a aproveitar momentos com a família, amigos, companheiros. Deixe os seus horários de maior energia também para cultivar estes momentos.


As informações acima foram muito úteis para mim e estão neste site:
http://www.fibromialgia.com.br/ 
Dêem uma passadinha por lá, vale a pena.
* * * * *

20 comentários:

  1. miha amiga ,adorei vou ler mais pois tem muito assunto,tenho tudo isso sim nossa podiamos ficar horas falando,grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Mara!!! Nossos relatos tem conteúdo para um livro!!!
      Bjs

      Excluir
  2. Amiga obrigada por criar este blog. Eu sou uma senhora de Portugal, que neste mesmo momento, está passando por uma das crises mais agudas desta doença. Já estou há 2 dias de cama, com o corpo parecendo todo queimado, as dores musculares são intensas e es espalham por todo o corpo.
    Tem aqui informações muito úteis. Obrigada e um abraço para si e o meu bem haja! Vou seguir seu blog :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Helena.
      Você é muito bem vinda e obrigada por comentar.
      Eu não tenho tido crises agudas, mas tenho pequenas crises constantemente, algumas são piores e outras menos ruins.
      Posso facilmente contar nos dedos a quantidade de dias, em um mês, nos quais me sinto melhor. Infelizmente sinto dores todos os dias.
      Espero que consiga sair logo desta crise aguda.
      Não se desespere e mantenha a calma, tente relaxar e descansar bastante até ela passar.
      Nosso consolo é saber que estas crises passam.
      Cuide-se bem e obrigada por seguir o blog.
      Abraços

      Excluir
    2. Oi Helena, fiquei emocionada em ver sua mensagem....pois nossa doença é de dificil controle, pois depende de varios fatores....e na verdade teriamos que estar sempre em equilibrio...coisa dificil p nos mulheres modernas com tantas atribuições e demandas...o que tenho pra te dizer que tem dias que qdo levanto da cama e me coloco em pé imagino que aquele dia não conseguirei andar....mas devagarinho acho a saída do quarto e qdo vejo estou pronta para mais um dia....e assim vai....mais um dia....mais um dia....POrtanto diante disso so tenho que dizer a todos que acompanham esse blog tão informativo que temos que olha pra nós e fazer valer nossas necessidades e desejos!!! Força a tds...abraço

      Excluir
    3. Olá, amiga anônima.
      Lindas suas palavras de conforto! Muito obrigada!
      Verdade! Nada como um dia após outro.
      Muitas vezes o sofrimento é tanto que não percebemos o quanto somos capazes de superar problemas difíceis!!!
      Eu só descobri o tamanho da minha força depois que as piores crises foram superadas. Olhei para trás e pensei: Meu Deus!!!! Como superei tudo isso?!!!
      Grande beijo no seu coração

      Excluir
    4. Oi Cristina!! Como começaram suas dores? Foi num grupo muscular? Estou com.dor nos glúteos há 3 meses. Começou no glúteo esquerdo, percebi a dor porque passo aspirador em casa. A dor migrou pro glúteo direito. Não passou daí desde então, mas é muito desagradável: contraturas, parestesia, piorou e melhorou, melhora com bolsa de água quente, relaxante muscular. Perdi muito peso ano passado, estou sem massa muscular e os médicos atribuem a isso as dores. Tenho pontos de gatilho de dor nas costas que pioram com tensão, mas os tenho há anos, estes passam a dor sem problema. O quadril está complicado, mas não chega a ser incapacitante. Não tenho dores à noite, durmo sem sentir dor (embora eu faça uso de medicação pro sono antes de esta dor surgir). Diminuí o remédio pra dormir e sigo dormindo, claro que não com a mesma qualidade de antes. Meu sono é ruim há muitos anos, tenho 34. Tu achas que posso estar no início da doença? Adorei teu blog!!! Beijooo

      Excluir
    5. Olá e bem vinda, amiga anônima.
      Para mim, as dores começaram nas pernas, depois foram se espalhando pelo corpo. Quando tinha crises eu brincava dizendo que só não doíam os olhos!
      Difícil sabermos se você está no inicio da doença porque para cada pessoa ele aparece de forma diferente. Sinceramente desejo que não porque é muito sofrimento, mas vá o mais rápido possível ao médico para saber o que você tem e para que não venha a ficar pior.
      Também perdi massa muscular e ao contrario de você, infelizmente eu engordei muito e até hoje na luta para perder peso.
      Obrigada pelo carinho :)
      Beijos

      Excluir
  3. Estou sofrendo muito com as dores
    Acho q exagerei no exercício
    Jas estou 3 dias ruin
    Não consigo fazer nada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Andréia
      Apesar de ter indicação para isso, nunca consegui fazer exercício por causa do desconforto das dores. Algumas pessoas conseguem, mas eu não!
      Obrigada por comentar!
      Bjs

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá, Taisa.
      Te entendo! O desespero aparece mesmo! Senti-me assim muitas vezes!
      Procure por um reumatologista, este é o melhor especialista para quem tem fibro. Com um tratamento adequado você vai se sentir melhor.
      Atualmente estou bem melhor.
      Muito obrigada pela visita e indico para ler outras postagens do blog onde vai encontrar muitos links com informações importantes que podem te ajudar.
      Obrigada por comentar e venha sempre que precisar.
      Mil bjs

      Excluir
  5. Fui diagnosticada com fibro,já em tratamento. Neste momento estou em crise, um sofrimento sem noção e é inevitável não chorar,não se desesperar. Meu reumato tem sido um anjo na minha vida. Gostei dos seus comentários, não esconde a realidade e nos encoraja a sermos fortes e seguirmos com uma vida mais próxima do normal. Um abraço querida! Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rafaelle.
      Minha maior alegria é quando um leitor me diz que contribui de alguma maneira com ele, como você fez. Esta é a maior recompensa por toda dedicação ao blog. Saber que mesmo a distância contribuo de alguma maneira para o bem estar dos meus leitores é o máximo!
      Muito obrigada mesmo!
      Te desejo melhoras e cuide-se bem.
      Bjs

      Excluir
  6. Olá,adorei ter encontrado seu blog. Aqui encontrei informações dessa síndrome que eu não ainda não sabia. Sofro com a FM , descobri há pouco tempo, sinto muita dor e o que mais me incomoda é minha família não acreditar que sinto muita dor mesmo! Muitas vezes passo dos limites nos afazeres da casa, carrego peso pois ninguém o faz por mim, quero muito que eles tenham interesse em saber o que é a Fibromialgia.Vou mostrar o Blog pra eles!!! Obrigada pela oportunidade do desabafo. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Claudia! Bem vinda!
      A maioria dos familiares tem muita dificuldade em entender o tamanho do problema por causa da intensidade e da quantidade de sintomas que apresentamos!
      A coisa é tão absurda que as pessoas custam a acreditar!!!
      Que máximo! Faça isso sim! Mostre a eles, essas informações passadas a eles serão de muita ajuda para sua vida. Aqueles que compreenderem serão mais doces para com você e isso vai diminuir muito o sofrimento emocional.
      Boa sorte e melhoras para você.
      Mil bjs e obrigada por comentar

      Excluir
  7. ola ja faz algum tempo k tambem ando com sintomas assim ate ja foi parar au hospital por ter o meu coração acelerado entre outros sintomas e ate hoje continuo com exames e analises pois quero ter a certeza de que não e nada de serio por o que li ate agora os sintomas são os mesmos e sim de manha e sempre a pior parte ate hoje não estou tomando nenhum medicamentos para isso a não ser antidepressants mas isso so vai ainda uma semana e claro que ainda demora algum tempo ate começarem a fazerem efeito eu sei que vai demorar algum tempo mas vou continuar a lutar contra isto e tentar andar o mais calmo possível pois eu notei que quando ando mais calmo não tenho tantos ataques pois ja tive uns bem fortes
    Obrigado por o seu artigo tenho a certeza de que vai ajudar outras pessoas como a mi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Frederico.
      Bem vindo! Isso mesmo! Procure se manter calmo e fuja de situações estressantes.
      Meu sofrimento era tanto, que para evitar passar por estresse e em seguida vir a sofrer horrores com as dores das crises, que resolvi me isolar do mundo.
      Quando penso nisso, fico chocada ao perceber a que ponto chega uma pessoa que sofre com a síndrome da fibromialgia. É mesmo chocante!
      Desejo que tenha melhoras com seu tratamento.
      Obrigada por acompanhar o blog por comentar.
      Abraços

      Excluir
  8. Oi Cristina. Não posso tomar antidepressivos e gabapentina, como me recomendaram. Existe algum remédio natural que trate essas dores? Já ouviu falar em cúrcuma? Estou em crises cada vez mais longas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zulmira.
      Já ouvi falar em cúrcuma sim. A Cúrcuma, também conhecida como açafrão-da-terra, é um tempero muito utilizado na culinária, de cor alaranjado e de sabor bem característico e quase adocicado.
      Ultimamente tem se falado muito em cúrcuma na internet. Lembro-me de ter lido nos artigos que ela pode prevenir doenças graves.
      Já ouvi falar que a acupuntura pode auxiliar muito em casos de dor, mas como eu nunca cheguei a fazer, não tenho como te dar nenhum testemunho meu sobre isso, mas vale a pena você pesquisar porque pode ser uma ajuda complementar ao seu tratamento e que não é remédio.
      Talvez seria interessante também consultar um médico ligado a homeopatia que é uma linha mais natural, já que você não está podendo tomar a medicação recomendada.
      Para diminuir o problema das crises eu sempre fugi do estresse. Para mim sempre foi assim, mais estresse, mais crises, menos estresse, menos crises e crises menos intensas.
      Gostaria de poder ajudar mais.
      Te desejo sorte e força na luta contra a fibro, que não é uma batalha nada fácil!!!
      Obrigada por comentar e um super beijo

      Excluir

Gostou do que viu aqui?
Deixe seu comentário.
Responderei assim que possível.
E não esqueça de recomendar aos seus amigos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...