4 de jun de 2009

Fibromialgia - Tratamento

Estou em tratamento e já melhorei muito.
Desejo melhoras a todos os fibromialgicos.

Os links das informações abaixo vocês podem encontrar no final desta postagem.



Tratamento

A Fibromialgia tem cura?
Não. Por apresentar diversos fatores causais a Fibromialgia cronifica. Não ocasiona morte ou deformidades, mas pode evoluir com incapacidade se não for tratada. O tratamento feito de maneira adequada e com a mudança de hábitos proporciona o controle da dor, melhora do sono, da fadiga e do humor. A manutenção do tratamento com a atividade física regular e controle do estresse são essenciais para a melhora da qualidade de vida.

Tratamento da fibromialgia
O tratamento da fibromialgia inclui medicamentos e medidas complementares. A ênfase está na redução dos sintomas de dor e na melhora da saúde de maneira geral.



Medicamentos para fibromialgia:

Antidepressivos: Os antidepressivos tricíclicos possuem ação analgésica indireta, não causam dependência e não possuem efeito narcótico. Promovem aumento da quantidade de neurotransmissores como serotonina, dopamina e norepinefrina. Isso resulta em aumento na quantidade de sono profundo, favorecimento da transmissão neuronal mediada por serotonina, potencialização da ação analgésica das endorfinas e relaxamento muscular.

Medicações para o sono tem sido recomendado na fibromialgia quando os distúrbios do sono não são controlados com o uso de antidepressivos tricíclicos.

Anticonvulsivos. Alguns medicamentos utilizados no tratamento de convulsões também se mostram efetivos no tratamento da fibromialgia.

Os analgésicos, embora não curativos na fibromialgia, são muito úteis no seu tratamento. Muito dificilmente um remédio analgésico resolverá totalmente a dor em um paciente com fibromialgia. Porém, eles podem reduzir a dor a um ponto que permita aos pacientes realizarem suas tarefas de vida diária e, principalmente, que possam realizar atividade física aeróbica programada. É importante que o paciente entenda o analgésico como parte do tratamento, e não como o tratamento completo. Por outro lado, a subutilização de analgésicos também é freqüente. Comumente os pacientes relatam que só usam a medicação para a dor quando não agüentam mais, quando a dor está insuportável. Isto também é prejudicial, por manter o ciclo de dor-contração muscular. Se os analgésicos forem usados, devem ser utilizados de maneira contínua e em horários pré-programados.

Os antiinflametórios, na fibromialgia não são muito eficazes, porém auxiliam no controle da dor quando em associação com outros medicamentos. Atuam também em sintomas associados à fibromialgia como a tensão pré-menstrual, cefaléia e dor articular.

Relaxantes musculares. Sendo a fibromialgia uma condição que se manifesta como dor muscular, é intuitivo pensar que relaxantes musculares possam ajudar no controle da dor. Existem várias medicações que estão no mercado como relaxantes musculares, mas o modo de ação de cada uma delas varia consideravelmente, e seu uso na fibromialgia pode ser otimizado se aplicarmos estas medicações de maneira adequada. Estas drogas também são utilizadas de forma breve e não contínua. São eficazes para combater a dor e a tensão muscular.

Todo tratamento deve ser prescrito e orientado por um médico.


Medidas e tratamentos complementares
Exercícios. Atividades físicas, em especial os exercícios aeróbicos, são comprovadamente eficazes para reduzir as dores da fibromialgia e melhorar a qualidade do sono. Inicialmente os exercícios podem aumentar um pouco a dor, mas a prática regular alivia os sintomas. Os exercícios mais indicados pelos médicos são caminhada, natação e hidroginástica. Começar aos poucos ajuda a alongar e movimentar os músculos doloridos. A aeróbica de alto impacto e o levantamento de peso podem provocar um maior desconforto. Um alongamento suave e uma massagem moderada pode ajudar a aliviar os sintomas, como também assim o fazem a acupuntura eletrônica e as técnicas de relaxamento.

Acumpuntura. Esta técnica incorporada da medicina chinesa tem mostrado resultados positivos, tanto na redução dos sintomas de fibromialgia, como na redução do estresse.

Psicoterapia. A abordagem psicológica, em especial a psicoterapia cognitiva comportamental, auxilia no desenvolvimento de habilidades para lidar com a doença e manter uma atitude positiva.

Hipnoterapia. A sociedade brasileira de reumatologia reportou que sessões de hipnoterapia pode promover uma melhora significativa dos sintomas de pacientes resistentes ao tratamento convencional.

Nos casos moderados, os sintomas podem desaparecer quando se reduz o estresse.

As medicações utilizadas para o tratamento de Fibromialgia variam de indivíduo para indivíduo. Isto acontece por diferentes motivos, principalmente pelo fato de diversos fatores: idade, genética, doenças associadas, fatores ambientais, tempo de doença e sintomas apresentados por cada um.
Toda medicação apresenta algum efeito colateral. Isto não é grave, mas pode ser desagradável e por isto limitar o uso de algumas destas drogas. Conseqüentemente, pode haver a demora do acerto da medicação e até mesmo uma resistência ao efeito analgésico após um período.
As medicações não causam dependência física se devidamente prescritas por um médico especialista no assunto.


Medicina alternativa funciona em fibromialgia?

Não há evidencias científicas que homeopatia, medicina ortomolecular, florais, pirâmides, soros, etc., sejam efetivas no seu tratamento, logo, não devem ser indicados nestes pacientes.


Tratamento de reabilitação

Para maior eficácia, este tratamento deve ser multi e interprofissional, ou seja, deve haver critérios, metas e interação entre os profissionais.
Há vários profissionais que podem estar envolvidos dependendo da necessidade do paciente. Entre eles: fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, educador físico, terapeuta ocupacional, enfermeiros e até assistente social.


Tratamento de manutenção

A Manutenção é a continuidade do tratamento como rotina diária, uma mudança de hábitos.

O paciente deverá continuar com atividade física regular, principalmente os alongamentos e aeróbicos. Atividade física regular, segundo o Colégio Americano de Medicina Esportiva, é aquela praticada 3 vezes por semana por pelo menos 30 minutos.

Utilizar técnicas de relaxamento, outros métodos de controle da dor conforme sentir necessidade.

Não adotar posturas inadequadas e viciosas.

Menor uso de medicações possíveis conforme a orientação médica.

Melhora da qualidade vida.

Maior participação em atividades sociais e de lazer.


Orientações gerais de tratamento

O tratamento da fibromialgia nem sempre se constitui numa tarefa fácil para o médico. Trata-se de um diagnóstico de exclusão, como salientado anteriormente na discussão do diagnóstico diferencial. Devemos manter uma postura crítica na aceitação e condução desta síndrome. De caracterização relativamente fácil, segundo os critérios diagnósticos, muitos enfermos vem recebendo tal rótulo de maneira, muitas vezes precipitada e inadequada, em certas ocasiões retardando o diagnóstico da condição clínica pertinente. A maciça divulgação desta condição na imprensa leiga também deve ser revista, pois tem capacidade de indução e amplificação dos sintomas em vários pacientes, como notamos no dia-a-dia dos nossos ambulatórios. Os folhetos informativos devem sempre ser revisados por profissionais especializados, informando os métodos de tratamento que possuem comprovação científica e evitando formas de tratamento ditas alternativas ou sem amparo na literatura.

Avaliações realizadas mostram que a fibromialgia, bem como outras síndromes dolorosas crônicas com períodos de incapacidade (exemplo: lombalgias e lombociatalgias) mostram cifras elevadas; os custos diretos anuais por paciente foram estimados em US$ 1,000, em 1991, elevando-se para US$ 2,274, em 1996. Em seguimentos de pacientes portadores de fibromialgia, realizados durante três anos, foi demonstrado que apenas 5% apresentam remissão sustentada após tratamento bem conduzido e que 60% persistem com fadiga e sono não reparador na evolução. A falência do tratamento pode ser estimada em 50% dos pacientes. Tal panorama necessita de constante atualização do ponto de vista farmacológico, bem como denota uma necessidade de estabelecermos diretrizes seguras para a abordagem destes pacientes.

É de fundamental importância um bom relacionamento médico-paciente, sua educação com relação aos sintomas clínicos e distúrbios associados. É necessária uma explanação detalhada sobre a evolução da fibromialgia, seu caráter crônico-recidivante, bem como a identificação de fatores agravantes e/ou de alívio desta condição. Devemos sempre enfatizar a benignidade desta síndrome, bem como nos casos classificados como primários, a ausência de doença subjacente significativa. Uma atitude positiva e otimista do médico perante o paciente também é importante.

Como os distúrbios do sono estão presentes na grande maioria dos pacientes, devemos proceder a uma "higiene do sono", salientando a necessidade de evitar consumo de cafeína ou nicotina próximo a hora de deitar, assim como outras orientações com finalidade de minimizar os fatores prejudiciais ao sono. As várias modalidades farmacológicas e não farmacológicas de tratamento estão além do objetivo desta revisão.


Higiene do sono
1. Horário regular para dormir e despertar.
2. Ir para a cama somente na hora de dormir e quando estiver com sono.
3. Ambiente de dormir saudável, com pouca iluminação. Além disso, é importante a adequação de colchões e travesseiros.
4. Tomar banho quente perto da hora de dormir geralmente atrapalha o sono.
5. Não fazer uso de álcool próximo ao horário de dormir e não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica.
6. Evitar chá, café ou estimulantes antes de dormir.
7. Atividade física em horários adequados e nunca algumas horas antes de dormir, pois pode atrapalhar o sono.
8. Jantar moderadamente em horário regular e adequado.
9. Não assistir TV na cama. Evitar ler na cama. A cama deve ser utilizada somente para dormir.
10. Realizar atividades relaxantes após o jantar.


Mandamentos do fibromiagico
- Aprenda a dizer não;
- Estabeleça metas e cumpra-as;
- Reconheça seus limites e respeite-os;
- Focalize o presente;
- Reavalie suas crenças;
- Antes de julgar, pense;
- Não tente, faça;
- Abandone o perfeccionismo;
- Não se sinta inferior;
- Aceite ajuda;
- Observe os comportamentos que interferem negativamente nas suas relações.





Vale a pena dar uma passadinha nestes sites:
http://adoratual.wordpress.com/category/o-que-e-fibromialgia/
http://www.fibromialgia.com.br/

http://www.bancodesaude.com.br/fibromialgia/fibromialgia
http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000427.htm

http://www.clinicagoldenberg.com.br/fibromialgia.asp?areaid=3
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/2752

http://www.cibersaude.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=2007

* * * * *

Um comentário:

  1. Oi amigos! queria saber de vcs,quem está tomando

    o medicamento para fibromialgia,o LYRICA,e como
    estão se sentindo com o tratamento.
    Comecei a tomar há quinze dias,junto com a hidroterapia,estou caminhando,e sem aquelas dores
    chatas,nos ombros ,no abdomem,e outras.
    Coloque aqui como estão se adaptando.
    Agradeço pelo comentário,espero vcs, bjks mil.

    ResponderExcluir

Gostou do que viu aqui?
Deixe seu comentário.
Responderei assim que possível.
E não esqueça de recomendar aos seus amigos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...