11 de jul de 2009

Fibromialgia a dor feminina

Se por acaso vocês conviverem ou cruzarem o caminho de alguém com problemas não ignorem, tentem entender o que está acontecendo.
Eu por exemplo, me sentia muito mal antes de saber o que eu tinha.
O Dr. Cláudio Fernandes Corrêa, que é citado no texto abaixo é meu médico, ele e sua equipe podem ser encontrados no Centro de Dor do Hospital 9 de Julho. Lá são aceitos uma infinidade de convênios.
Para saber mais sobre o Centro de Dor entre no site http://www.centrodedor.com.br/
 

O texto abaixo encontra-se neste site:
http://www.fibromialgia.com.br/novosite/index.php?modulo=pacientes_pvista&id_mat=5

A dor feminina

Sinceramente: por quanto tempo você agüenta sentir dor?

A dona-de-casa Maria de Lourdes Ferreira reclama sem parar há 27 anos. A dor misteriosa que a persegue quase destruiu a família.

“Dificilmente tem um dia que ela diz que está bem. Nunca. Dor de cabeça, dor nas pernas, dor no estômago”, lamenta o marido de Maria de Lourdes, José Alves Ferreira.

“Você pensa que vai morrer, que não vai suportar”, continua Maria de Lourdes.

“Remédios caríssimos. Teve remédio de R$ 85, R$ 90”, conta José Alves.

”Cheguei a desconfiar de tanta dor”, lembra o filho de Maria de Lourdes, Gustavo Alves Ferreira Neto.

Quando sentou na sala de espera, Maria de Lourdes descobriu que não sofria sozinha. “Minha dor começou na barriga, mas da barriga ela foi se estendendo para o corpo inteirinho”, explica a paciente Marisa Cortez.

“Não conseguia que ninguém nem me tocasse, porque doía tudo”, diz outra paciente, Dalva de Fátima Rocha.

“Quem estava ao redor da gente falava que era psicológico, que eu estava fazendo isso para chamar a atenção das pessoas”, continua Marisa Cortez.

Pois é. Não bastasse o sofrimento físico, durante anos, estas mulheres foram vítimas da desconfiança e do descaso, principalmente de quem deveria ajudar.

“É para falar francamente? Um falava que eu tinha Aids. Outro falava que eu tinha tuberculose. Outro falava que eu estava com início de câncer”, desabafa Marisa Cortez.

Quer ver só como acontece? Ângela Spíndola, que passou por 61 médicos, aceitou se consultar em um hospital para mostrar como foi tratada durante anos, até chegar a um centro de dor e descobrir que a doença misteriosa tem nome: fibromialgia.

“A fibromialgia se caracteriza exatamente por dor na musculatura. São bandas da musculatura que se contraem e a contratura dessa musculatura gera dor”, esclarece o médico especializado em dor Cláudio Fernandes Corrêa.

Continue lendo este texto no site abaixo. Visitem é ótimo! 
* * * * * * *

2 comentários:

  1. È igual os relatos e muito mais quanto tem diabetes, Hipertensão,depressão..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cidalva.
      Bem vinda!
      Dor, uma das piores experiências que podemos viver nesta vida!
      Espero que esteja melhor.
      Bjs

      Excluir

Gostou do que viu aqui?
Deixe seu comentário.
Responderei assim que possível.
E não esqueça de recomendar aos seus amigos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...